Cascavel avança como 11ª melhor cidade do Brasil para se viver com qualidade de vida


Cascavel avançou quatro posições e se tornou a 11ª melhor cidade do Brasil para se viver com qualidade de vida, aponta o Índice dos Desafios da Gestão Municipal. O IDGM mede os avanços nas áreas de saúde, segurança, saneamento e educação entre as 100 principais cidades do país. A pesquisa foi divulgada na terça-feira (9). 

Entre as quatro áreas analisadas, Cascavel teve sua melhor posição em saneamento e sustentabilidade: 6ª lugar. A posição nas outras áreas foi: 10ª em Saúde, 35ª em Educação e 57ª em Segurança. Na última década, a cidade subiu 35 posições no ranking, o segundo maior crescimento do país.

Em dez anos, Cascavel melhorou sua posição no ranking nas quatro áreas analisadas e não perdeu posição em nenhuma delas. Os números mostram os avanços na Educação (+11 posições), Saúde (+42 posições), Segurança (+26 posições) e Saneamento e Sustentabilidade (+24 posições).

Cascavel está em terceiro lugar no Paraná, atrás apenas de Curitiba (2º lugar) e Maringá (1º). Curitiba está em 7º lugar no ranking nacional e Maringá em primeiro.

Os números foram compilados pela Macroplan, empresa brasileira de consultoria com sede no Rio de Janeiro e atuação em todo o Brasil.

Para o prefeito Leonaldo Paranhos, os números refletem o DNA de Cascavel, a Capital da Produção. “Nossa cidade amadureceu, temos lideranças maduras que ajudam a conduzir o município. Essa soma de esforços faz com que sejamos destaque no Brasil e até no mundo. O trabalho, o empreendedorismo, o amor pela cidade estão no nosso DNA”, afirma Paranhos.

Segunda em crescimento

Os números mostram que na última década Cascavel foi a segunda cidade que mais cresceu no Brasil. Na saúde, por exemplo, os indicadores mostram a cidade em terceiro lugar no Brasil. Um dos fatores que contribuíram para melhorar a posição no ranking, é a cobertura da atenção básica, que saiu de 50% em 2017 para 80% em 2020.

Outro fator que contribuiu para isso foi a taxa de mortalidade infantil que, em Cascavel, foi igual a 9,8 por mil nascidos vivos em 2019, menor que a média dos 100 maiores municípios do país.  Essa foi a 17ª menor taxa de mortalidade infantil nesse último ano. Entre 2009 e 2019, a taxa de mortalidade caiu 27,9% no município. Essa variação foi a 25ª melhor entre os 100 municípios.Área de anexos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ponta Grossa volta a exigir máscaras

A prefeitura de Ponta Grossa voltou a obrigar o uso de máscaras contra a covid-19 em ambientes abertos. O uso do artefato foi suspenso desde 1º de novembro. As novas medidas – uso de máscara, distanciamento social e a higiene das mãos – contra o coronavírus já estão valendo.

Iguaçuenses celebram o retorno do Natal ao Gramadão de Itaipu, na Vila A

Atrações circenses, balonismo, roda-gigante, música sinfônica, brinquedos, Papai Noel, decorações natalinas com árvore gigante, além de um belo pôr do sol, marcaram no sábado (4) a reabertura do Gramadão à comunidade de Foz do Iguaçu, após pouco mais de um ano de obras de revitalização.

A festa, que reuniu cerca de 10 mil pessoas, deu início à programação do Natal de Águas e Luzes neste que é um dos espaços de lazer mais procurados pelas famílias iguaçuenses. O ponto alto foi a apresentação da Banda Sinfônica do Exército Brasileiro, que emocionou os presentes com um repertório formado por músicas clássicas, populares e natalinas. Os músicos voltam a se apresentar no local neste domingo (5), às 20 horas.

A cerimônia contou com a participação das principais autoridades do município, que enalteceram o espírito de união entre as instituições organizadoras do Natal de Foz de Iguaçu: Itaipu Binacional, Prefeitura de Foz, Fundo Iguaçu e parceiros locais. O evento foi pensado para ser um presente à população após quase dois anos de pandemia.

Foto: reprodução