por 13:36 Sem categoria

CARTÃO CORPORATIVO É AVANÇO PARA A GESTÃO PÚBLICA, AFIRMA LÍDER DO PMDB

CARTÃO CORPORATIVO É AVANÇO PARA A GESTÃO PÚBLICA, AFIRMA LÍDER DO PMDB

O cartão corporativo, no Paraná, é usado exclusivamente para pagamento de diárias de servidores públicos que se deslocam, a serviço, para outros municípios. É utilizado somente para pagar despesas com alimentação, hospedagem e viagem
 
“O cartão corporativo é um avanço em relação àquilo que existia. Aqui no Paraná não funciona da mesma maneira que funciona no governo federal. Aqui você vai para determinado lugar e tem o dinheiro apropriado para aquilo que vai fazer naquele determinado lugar”. A declaração é do deputado estadual Waldyr Pugliesi, líder do PMDB na Assembléia Legislativa, ao rebater deputados da oposição que tentam desvirtuar sobre o uso dos cartões corporativos pelos servidores do Governo do Estado.

O cartão corporativo, no Paraná, é usado exclusivamente para pagamento de diárias de servidores públicos que se deslocam, a serviço, para outros municípios. É utilizado somente para pagar despesas com alimentação, hospedagem e viagem. Toda a documentação referente ao uso do cartão corporativo do governo do Estado foi enviada aos deputados estaduais no início do mês de fevereiro, logo após o reinicio dos trabalhos parlamentares.

De acordo com Pugliesi o volume de créditos disponíveis nos cartões dos funcionários é rigidamente controlado e só liberado um dia antes dos mesmos viajarem a serviço. “Vai ter o recurso para pernoite. Se faz o cálculo e o funcionário do governo só tem aquele dinheiro, não tem jeito dele manipular nada”, informou em entrevista a rádio CBN.

“Agora, à esta oposição faço uma pergunta, é aquela que não permitiu que nós, durante oito anos tivéssemos um pálido conhecimento de qualquer coisa via Assembléia?”, indagou Pugliesi, se referindo aos oito anos do governo anterior a gestão Roberto Requião. “Vivi muito isso. Fizeram tudo isso durante todos estes anos e agora, eles que foram tão permissivos, são as mães da moralidade e da ética?”.

O líder do PMDB afirmou que a situação atual lembra muito o moralismo pregado pela antiga UDN (União Democrática Nacional), “que nada mais era do que um partido que defendia os privilégios daqueles que estão deitando e rolando neste país desde 1.500. É mais ou menos isso, com uma roupagem diferente”, completou.

ESCLARECIMENTOS – Pugliesi informou que defende que os órgãos do Governo do Estado esclareçam todas e quaisquer dúvidas levantadas na Assembléia Legislativa. “Tudo o que for perguntado em relação ao governo, a sua atuação, essa coisa toda, tem que ser respondido”, frisou.

O deputado lembrou do período em que era secretário dos Transportes do Paraná (2003-2006). “Nunca me neguei a responder, porque havia determinação do próprio governador Requião que dizia: "quero que respondam tudo em cinco dias". Quando era humanamente impossível se fazer a resposta em cinco dias, solicitávamos um prazo maior, para poder responder as indagações de quem estava na Assembléia”, disse.

Pugliesi confirmou que recebeu, em seu gabinete, todas as informações sobre os cartões corporativos. “Não sei porque eles não estão se satisfazendo com aquilo que foi levado ao conhecimento de todos eles”, concluiu. O cartão corporativo passou a ser usado no Paraná em 2001, por meio de decreto 3450/2001, no governo de Jaime Lerner. Atualmente, o decreto em vigor que estabelece regras e normas das viagens dos servidores públicos é o de número 3498, de 23 de agosto de 2004. Esse decreto regulamenta a Lei Complementar 104/2004.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com