por 15:40 Curitiba, Destaques

Câmara de Curitiba decreto luto oficial de 3 dias pela morte de Jaime Lerner

A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) lamenta o falecimento do arquiteto e urbanista Jaime Lerner, ex-governador do Paraná e ex-prefeito da capital. Em sua homenagem, a Mesa Diretora da Casa decretou luto oficial de três dias, período em que as bandeiras do Município, do Estado e do Brasil ficarão a meio mastro. Falecido na manhã desta quinta-feira (27), aos 83 anos de idade, Lerner foi uma referência política e no planejamento urbano, que deixa à cidade legados urbanísticos, socioeconômicos, à mobilidade e ao meio ambiente.

Ele estava internado, desde o último domingo (23), em função de problemas renais. “Nossos sinceros sentimentos à família, amigos e a toda a gente de Curitiba. O nome de Jaime Lerner está marcado na história de Curitiba, não só por ter sido prefeito e governador, mas por ter proporcionado uma revolução urbanística na cidade”, destaca o presidente da CMC, Tico Kuzma (Pros).

“Os frutos de suas gestões vemos até hoje: a inovação no transporte público com canaletas exclusivas, copiadas por pelos menos outras 250 cidades em todo o mundo; parques e monumentos em metal e vidro que viraram cartões-postais, como o Jardim Botânico, a Ópera de Arame e a Rua 24 Horas; e várias outras intervenções que mostraram Curitiba para o mundo”, acrescenta Kuzma. “Lamentamos profundamente a perda desse grande homem, que trouxe a paixão e os critérios técnicos de sua profissão para a política da nossa cidade. Se Curitiba é hoje uma das melhores cidades para se viver, muito disso passa pela gestão de Jaime Lerner.”

Filho de Félix Lerner e de Elza Lerner, imigrantes judeus de origem polonesa, Jaime Lerner nasceu em Curitiba, em 17 de dezembro de 1937. Formado em Engenharia Civil e em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), assessorou, na gestão do prefeito Ivo Arzua (1962-1965), a discussão de um novo Plano Diretor para a cidade. Esse grupo foi o embrião do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), do qual Lerner é considerado um dos fundadores e foi presidente, na segunda metade dos anos 1960.

Já reconhecido como arquiteto e urbanista, foi prefeito de Curitiba em três gestões (1971-1974, 1979-1983 e 1989-1992) e governador do Paraná por dois mandatos (1995-1998 e 1999-2002). À frente do Poder Executivo da capital, implementou instrumentos previstos no Plano Diretor que ajudou a desenhar. Dentre essas políticas urbanas estavam a valorização da área central, dos pedestres e do transporte coletivo.

Em 1972, segundo ano como prefeito, inaugurou o calçadão da rua XV de Novembro, trecho conhecido como Rua das Flores. Primeira via exclusiva para pedestres do Brasil, é um tradicional ponto de encontro da cidade (saiba mais, no Nossa Memória da CMC, sobre essa história). No mesmo ano, o Teatro Paiol foi aberto como centro cultural.

O pioneiro BRT, canaleta exclusiva para a circulação dos biarticulados, nasceu em Curitiba, em 1974, pelas mãos de Jaime Lerner. O sistema de transporte com as estações-tubo foi copiado ao redor do mundo e é considerado um modal rápido e barato. No mesmo ano, o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) elegeu sua administração como a melhor do Brasil.

No terceiro mandato à frente da Prefeitura de Curitiba, implantou o sistema de ônibus da linha direta (conhecido até hoje como “ligeirinho”). Na área ambiental, foi responsável pelo programa que concedeu à cidade o título de Capital Ecológica. Umas das iniciativas mais marcantes foi a campanha Lixo que Não é Lixo, em que a saudosa Família Folha ensinava a separar os resíduos para a coleta seletiva.

No Câmbio Verde, que rendeu a Curitiba um prêmio da Organização das Nações Unidas (ONU), famílias em situação de vulnerabilidade até hoje podem trocar recicláveis por alimentos. Ainda na área do meio ambiente, o parque Barigui, um dos cartões-postais da cidade, foi criado, em 1972, com o objetivo de conter enchentes.

São projetos do ex-prefeito, com a proposta de recuperação de áreas verdes, os parques Tanguá, Tingui e São Lourenço, além da Universidade Livre do Meio Ambiente. Inaugurado por Lerner em 1991, o Jardim Botânico, principal cartão-postal da cidade, também abriga o Museu Botânico.

Homenagens

Em reuniões na manhã desta quinta, o Colégio de Líderes e os vereadores da Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização da Câmara de Curitiba observaram um minuto de silêncio em homenagem ao arquiteto e urbanista. “Ele deixou um legado para a cidade de Curitiba, várias cidades pelo mundo também. É uma referência aos curitibanos e a todos que moram aqui”, declarou o presidente do colegiado de Economia, Serginho do Posto, do DEM, partido ao qual Jaime Lerner foi filiado.

O segundo vice-presidente e decano da Casa, Tito Zeglin (PDT), vereador da 10ª legislatura, durante o terceiro mandato de Lerner, entre 1989 e 1992, diz que ele foi “um grande prefeito”, que “não se furtava em ir a pontos estratégicos, ver os problemas, sentir o clamor da população e resolvê-los imediatamente”. “Ele projetou a cidade pro mundo. Quando criou o sistema de transporte em vigor até hoje, do expresso biarticulado, projetou nossa cidade para o mundo. Tanto é que muitas delegações vieram a Curitiba e muitos países nos copiaram”, lembrou. “Foi uma perda lastimável. Jovem ainda, o Lerner poderia contribuir a nossa cidade. Fica meu muito obrigado por tudo o que ele fez.”

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com