por 08:05 Sem categoria

BANDEIRAÇO DO PMDB DEFENDE LIVRE MANIFESTAÇÃO NA BOCA MALDITA

BANDEIRAÇO DO PMDB DEFENDE LIVRE MANIFESTAÇÃO NA BOCA MALDITA

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em conjunto com a Frente Ampla pelos Avanços Sociais promoveu neste sábado (14) um bandeiraço em defesa da livre manifestação popular no calçadão da Rua XV de Novembro, a Boca Maldita de Curitiba. O ato, do Comitê Democracia Direta da Boca Maldita, contrapõe a portaria do juiz eleitoral Benjamin Acácio de Moura e Costa, da 178ª Zona Eleitoral, medida declarada anticonstitucional por impor restrições à livre manifestação no tradicional espaço.

A Boca Maldita completou 52 anos como o palco das principais manifestações do Paraná em defesa da democracia. O espaço foi palco de comícios memoráveis, como o do presidente Getúlio Vargas, o das Diretas Já que devolveram à população brasileira o direito de escolher seus representantes, da mobilização Fora Collor, que contribuiu para o impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello e contra a política de privatização da Copel, Sanepar, Ferroeste e outros órgãos públicos do Paraná.

O presidente da Confraria da Boca Maldita, Ygor Siqueira, coordenou à distribuição de carta subscrita pelos dois mil cavalheiros da confraria criada há mais de 30 anos. Segundo ele, a lei municipal 6450/83, do vereador Aziz Domingo, institui o espaço como tribuna livre, de funcionamento das 8h às 22h. A tribuna em questão é denominada Vereador Arlindo Ribas de Oliveira e não pode ser cerceada por uma portaria de juiz eleitoral, informa.

“A Boca Maldita é livre os 365 doas do ano para manifestações populares de toda ordem ou política social, não importa, o espaço tem que ser livre, sem restrições”, declarou o presidente do PMDB de Curitiba e coordenador do Comitê Doático Santos. A preocupação de Doático é com relação à campanha das eleições municipais, quando todos os partidos têm possibilidade de conversar com a população.

“A proibição não é apenas para atos políticos na Boca Maldita, é para a comunicação com a população dos partidos de oposição à atual administração”, informou. Na avaliação de Doático, a portaria do juiz da 178ª Zona Eleitoral, dificulta o acesso da população a informações sobre os programas sociais do governo Roberto Requião, que serão apresentadas pelos partidos de esquerda durante a campanha eleitoral.

SURPRESA – Para o professor Cláudio Fajardo, diretor da Biblioteca Pública Estadual, a decisão do magistrado foi uma surpresa. “Esta proibição contraria o espírito democrático de Curitiba. Parece que não querem que a oposição converse com o povo. O diálogo direto vai fazer as pessoas mudarem de idéia com relação ao atual gestão municipal”, completou.

O lançamento do Comitê Democracia Direta da Boca Maldita serviu como pano de fundo para a chamada geral da convenção do PMDB de Curitiba, a ser realizada das 9h30 ao meio dia deste domingo (15) no Clube Literário do Portão. O ex-reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e pré-candidato à prefeitura de Curitiba Carlos Moreira também participou do ato.

Segundo Moreira, a convenção será uma vitória para a população que acredita na participação das pessoas nos destinos da cidade. “Este é o PMDB que o povo quer que volte para conduzir os destinos de Curitiba. Por isso este ato é importante, porque defende a democracia em todos os níveis da sociedade”, concluiu.

Além do apoio à manifestação na Boca Maldita, a Frente Ampla pelos Avanços Sociais apresentou uma série de medidas jurídicas contestando a portaria restritiva do juiz eleitoral. “O Juiz que se atenha aos abusos do poder econômico, isto sim, papel compatível com os preceitos do exercício democrático previsto na Constituição Federal”, encerrou Doático Santos.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com