Escrito por 17:32 Paraná, Saúde

Baixo estoque de medicamentos acende alerta para o Paraná

Compartilhe

Há cerca de dez dias, o coordenador das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, Danilo Pompermeyer, passou a observar a falta de medicamentos essenciais para o tratamento de pacientes da Covid-19. A baixa foi em estoques de sedativos, analgésicos e bloqueadores musculares fundamentais para a intubação de doentes graves – sem eles, corre-se o risco de o paciente tentar, involuntariamente, tirar o tubo do respirador mecânico ou sentir muita dor. A escassez dificultou alguns trabalhos. Ele relata um dos episódios: “Não chegou a prejudicar a intubação do paciente. Mas ficou um pouco menos seguro para que nós realizássemos o procedimento”, diz o intensivista.

O médico aponta que não é caso isolado de seu hospital. “Percebemos que essa racionalização [uso mais restrito dos medicamentos] tem acontecido em todos. Não é só setor público ou só privado. Uma medicação que está na nossa mira agora é a noradrenalina, que ajuda a melhorar os níveis de pressão. Esses pacientes [da Covid-19] fazem pressão muito baixa. Pelos radares das farmácias, isso está começando a ficar em perigo”, destaca.

Leia mais na Gazeta do povo

Close