por 13:15 Deputado Giacobo, Paraná

Auxílio emergencial deve atender 3,2 milhões de paranaenses

O deputado Fernando Giacobo (PL) disse que o novo auxílio emergencial – emenda promulgada nesta segunda-feira, 15, pelo Congresso Nacional – deve atender 3,2 milhões de paranaenses, 30% da população do estado.
“Serão mais quatro parcelas, que devem ser pagas a partir de abril, de R$ 150 a R$ 375, a depender da composição da família, resultado de um grande entendimento do Congresso Nacional e governo federal. Vamos trabalhar para que a primeira parcela seja paga ainda em março”, disse Giacobo.

“É um dinheiro muito importante porque coloca comida na mesa, paga algumas contas básicas, faz circular a economia neste momento de maior sofrimento de todos devido a pandemia. Em muitos lares, além da falta comida, falta o acesso aos serviços básicos, esse dinheiro é um respiro para todos beneficiados”, completou.

A definição sobre valores e quantidade de parcelas será definida por meio de medida provisória, a ser editada pelo governo nos próximos dias. A primeira fase de pagamentos do auxílio chegou a R$ 292 bilhões para cerca de 68 milhões de pessoas, em duas rodadas: na primeira, foram pagas parcelas de R$ 600 por cinco meses; na segunda, chamada de “auxílio residual”, foram parcelas de R$ 300 durante quatro meses e com um público-alvo menor. Desta vez serão destinados R$ 44 bilhões por fora do teto de gastos.

MPs – O pagamento do auxílio emergencial impacta diretamente no orçamento de 30% da população do Paraná, de acordo com dados do Portal da Transparência do governo federal. No estado, mais de 3,2 milhões de pessoas receberam o benefício da primeira e segunda fase entre abril e dezembro de 2020.

Nas duas medidas provisórias a serem publicadas nesta semana, uma libera crédito para o benefício e outra com as regras do auxílio emergencial, como o número de parcelas, critérios para o pagamento e a data de início do programa.

A expectativa é que 45 milhões de pessoas recebam R$ 250, em média, de benefício, a partir do fim deste mês ou início do próximo. As parcelas seriam pagas por quatro meses. Mães chefes de família devem receber mais.

Em 2020, o auxílio emergencial pagou cinco parcelas de R$ 600, chegando a R$ 1,2 mil para mães chefes de família. Houve ainda um complemento de R$ 300 pagos até dezembro. O programa custou R$ 300 bilhões e ajudou a segurar a queda da economia brasileira durante o primeiro ano de pandemia, estimulando o consumo.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com