por 12:47 Sem categoria

Atos públicos contra o Bush

Ao contrário do que ocorreu em São Paulo e outros grandes centros aqui em Curitiba o ato foi pacífico, não tendo gerado nenhuma ação de depredação e muito menos repressão por parte da Polícia. O governo Requião e a polícia do Paraná estão de parabéns, pois o que vimos ocorrer em SP, com a ação policial digna da época da ditadura, pela polícia comandada por José Serra.

Eles poderiam ter contido os “excessos” de forma seletiva e não fazer o que fizeram ao partirem para agredir com bombas, balas de borracha e gazes a todos os manifestantes que participavam de forma pacífica e democrática expressando a sua opinião.

Também não podemos esquecer dos porras-loucas e dos infiltrados à serviço do “Mr.Danger”, que lá estavam com um único objetivo, tumultuar. Este esquerdismo exagerado dá “justificativas” para a ação da repressão, servindo a direita entreguista, por desfocar o objetivo do ato, trazendo aos olhos da população em geral as imagens distorcidas pela mídia submissa e venal.

A mobilização em Curitiba começou às 10h  e terminou às 19h. Dela participaram o IBS Abreu e Lima, que iniciou a formação da frente, a UNE, a Ubes, a UPE, a Umesc, o Oscar, representante internacional dos Círculos Bolivarianos, a FS, a CUT, a UNB, a SABB, o Greenpeace, os Metalúrgicos, a UJS e demais entidades populares.

Esteve presente o movimento "Soy Loco por ti América", capitaneado pelo Luis, dirigente também do grupo cultural "Viento Sur", que cederam o caminhão de som e nos alegraram com as suas músicas latinas revolucionárias.

A manifestação, que durou toda tarde, foi alegre e participativa, atingindo milhares de pessoas, sendo que no final foi recebida com fogos a chegada da Marcha das Mulheres.

O povo que transitava pelo local cuspiu, pisou, limpou os pés e rasgou a bandeira norte americana, que no final foi queimada.

A Sociedade Árabe, presidida por Mouth Ibraim, fez um ato simbólico ao um adolescente imprimir com suas mãos marcas vermelhas na bandeira americana, simbolizando o sangue árabe derramado.

Postado por Carlos Molina

Fechar