por 10:39 Destaques, Empregos, Luiz Claudio Romanelli, Paraná

Apesar da crise pandêmica, Paraná continua criando empregos, diz Romanelli

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) disse nesta sexta-feira, 27, que, apesar da crise provocada pelo coronavírus, o Paraná continua a abrir novas vagas para o mercado de trabalho, em vários setores. Desde o início das primeiras medidas de combate a covid-19, Romanelli tem acompanhado os dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

“Em março, abril e maio, quando foram adotadas as primeiras medidas de combate à pandemia, o Paraná teve saldo negativo na geração de emprego. Com as iniciativas propostas e aprovadas pela Assembleia Legislativa em apoio ao governo, o estado conseguiu recuperar a perda da mão de obra e, pelo quinto mês consecutivo, temos saldo positivo de geração de empregos”, disse o deputado.

De acordo com o Caged, outubro foi o mês em que o Paraná teve melhor desempenho com um saldo de 33.008 empregos criados, o terceiro melhor resultado do país. No acumulado do ano, o saldo é de 33.615 novos empregos, segundo melhor indicador do Brasil. “Esses números apontam para a recuperação da economia e mostra que o setor produtivo paranaense está gradativamente retomando o ritmo de produção e vamos ter um fim de ano com resultados ainda melhores”, estima Romanelli.

Mão de obra — O setor de serviços foi o que mais contratou em outubro, segundo os dados anunciados. Foram 12.391 novas contratações. Na sequência vem o comércio (9.423), indústria (8.452) e construção civil (3.074). Na avaliação do deputado, atividades das áreas de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, que está enquadrada no setor de serviços, são os que mais se destacaram com a abertura de 8.895 novas vagas carteiras assinadas.

Romanelli lembra que está em análise na Assembleia Legislativa, proposta que prevê a expansão do benefício fiscal de ICMS para empresas dos setores de informática, telecomunicações e eletroeletrônicos instaladas em Cornélio Procópio e em mais nove cidades paranaenses. “A ideia é aumentar a competitividade dos municípios, estimular a criação de empregos, aumento de renda e a inovação. O benefício fiscal está relacionado à existência de unidades da Universidade Federal Tecnológica do Paraná”, explica.

Em outubro, os municípios paranaense que mais geraram emprego com carteira assinada foram Curitiba (11.704), Ponta Grossa (1.771), Maringá (1.413), Londrina (1.256), Cascavel (929), Foz do Iguaçu (723), Toledo (597), São José dos Pinhais (546), Pinhais (504) e Apucarana (502).

Fechar