0 Shares 607 Views 2 Comments

Apoio da APP ao MST revolta professores

11 de abril de 2016
607 Views 2

gisele

O apoio da APP-Sindicato ao MST revoltou professores e educadores que querem se desfiliar ao sindicato ligado a CUT – braço sindical do PT – que está em campanha contra o juiz Sérgio Moro e a Operação Lava Jato. A APP também participa dos atos contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e na defesa do ex-presidente Lula. Ao ato do MST neste sábado, 9, em Quedas do Iguaçu, a APP deslocou dois carros e uma de suas principais dirigentes, a sindicalista Marlei Fernandes, e garantiu apoio ao MST nas invasões que o movimento fará ao Paraná em represália à tragédia, provocada pelo próprio MST, na invasão às terras da Araupel.

“Decepção! Essa é a palavra ao ver dois automóveis de nosso sindicato serem utilizados para outros fins. Quem mantém a APP sindicato somos nós, servidores do estado. Segunda feira irei fazer minha desfiliação . Convido os colegas a fazerem o mesmo”, disse a professora Gislene Petry no facebook. Sua postagem, até o momento, já teve 1.859 compartilhamentos, dois mil comentários e 573 curtidas.

gisele2

“Quero deixar aqui meu repúdio à APP-Sindicato pela presença de lideranças, hoje, em Quedas do Iguaçu, apoiando o ato do MST. Sou filiada a esse sindicato e não concordo. Isso não tem nada ver com educação. Em nenhum momento nos consultaram para saber a opinião. Como é um sindicato representantes de uma classe, devem representar os interesses de nossa classe de professores, que nesse caso são divergentes”, reagiu a professora Giselle Neninha na rede social. O post já teve 33 compartilhamentos e 243 comentários.

“Creio que o presidente Hermes Silva Leão, está perdendo uma grande oportunidade de fazer rum belo trabalho junto a APP. Creio até que por conta de colegas de luta não tão interessados em fazer da mesma forma…Desenvolver um trabalho desejável junto a categoria não vemos, mais estar em locais alheios aos nossos interesses, para isso tem disposição de sobra… Vegonha!”, reagiu o professor Delinar Matuczak Kisst.

“Líderes aproveitam os movimentos para entrar e fazer agitações e usam cargos para promoção”, disse o professor Tibes Junior. “Este sindicato é parasita, oportunista e pronto! Tomam vergonha na cara!”, disse a professora Marta Nogueira Moreira. “Sou professora e também não gostei de algumas atitudes. A APP não me representa”, disse
Vânia Fernandes.

Fotos: Facebook

Mais notícias para você:



2 Comments

  1. É uma pena que um bando de fdp se aposse da sigla APP para fins políticos partidários escusos . Quem não conhece a realidade acha que os professores é um bando de aloprados, que pena…

    Reply

Deixe um comentário

Your email address will not be published.