por 19:12 Sem categoria

Prefeitura de Curitiba se recusa assumir a operação do Terminal do Guaraituba

Prefeitura de Curitiba se recusa assumir a operação do Terminal do Guaraituba

O Terminal Metropolitano do Guaraituba, no município de Colombo, está pronto para ser usado, mas a Prefeitura de Curitiba, por meio da Urbs, não quer colocá-lo em operação. Esta é a única verdade sobre o terminal, disse nesta terça-feira o coordenador da Região Metropolitana de Curitiba, Alcidino Bittencourt Pereira, ao negar a existência de qualquer tipo de briga ou disputa, por parte do Governo do Estado, sobre o assunto. “Nós não brigamos com ninguém, é a Urbs que se mantém irredutível e quem sofre com isso é a comunidade”, acrescentou.

Segundo Alcidino Pereira, a Comec cumpriu a sua parte dentro do que foi acordado entre representantes do Governo e da prefeitura na época da concepção do Programa Integrado de Transportes (PIT), isto é, construiu o Guaraituba e outros terminais, além de pavimentar ruas e avenidas para melhorar a circulação dos ônibus, mas a Urbs não quer cumprir a sua, que é colocar o terminal em operação. Pelo convênio, cabe à Urbs, por delegação da Comec, a operação do sistema integrado de transporte coletivo da Grande Curitiba.

Também de acordo com Alcidino, depois da conclusão da parte estrutural do Guaraituba, a Comec fez uma série de outras obras no terminal, a pedido da própria Urbs, para permitir o seu funcionamento sem problemas. “Agora está tudo cem por cento, não restando mais nada a fazer em termos físicos, mas mesmo assim a Urbs não quer assumir a operação, alegando que o funcionamento trará ônus para o sistema, e estes supostos custos a entidade gestora do sistema não quer bancar”, acrescentou.

Com capacidade inicial para atender mais de 40 mil passageiros por dia, o terminal foi construído para absorver parte das linhas do Terminal Metropolitano do Maracanã, também em Colombo, que passa por obras de reforma e ampliação, cuja conclusão depende da transferência de 40% das linhas alimentadoras para o novo terminal. O Guaraituba tem 2.637 metros quadrados de área coberta e ocupa um terreno de 8.718 metros quadrados. Tem 17 plataformas para ônibus, além de uma área de 257 metros quadrados para comércio e serviços. O custo da obra é de R$ 2,3 milhões, com investimentos do Governo do Estado e financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Inicialmente, o Guaraituba deverá absorver 11 linhas do Terminal Metropolitano do Alto Maracanã. No futuro, deverá ter mais seis novas linhas, podendo o movimento chegar a 50 mil passageiros por dia útil.

A construção do Terminal do Guaraituba faz parte do Programa de Integração do Transporte da Região Metropolitana de Curitiba (PIT), executado pela Secretaria do Desenvolvimento Urbano e pela Comec. O PIT compreende a execução de um corredor de desenvolvimento ligando os municípios de Itaperuçu, Almirante Tamandaré, Colombo, Pinhais, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Campina Grande do Sul e Quatro Barras.

Também compreende obras de pavimentação asfáltica, terminais, trincheiras e pontes, iluminação pública, paisagismo, calçadas, ciclovias, trevos e pontos de ônibus. Os recursos são do Governo do Estado, com financiamentos parciais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), num total de R$ 124 milhões.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com