por 18:59 Sem categoria

Ministra destaca investimentos do PAC no Paraná e redução da tarifa do pedágio nas rodovias federais

Ministra destaca investimentos do PAC no Paraná e redução da tarifa do pedágio nas rodovias federais

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta quarta-feira (19), em Foz do Iguaçu, que os recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) vão significar R$ 20 bilhões em investimentos no Paraná até 2010. “É um processo de investimento em infra-estrutura. E são investimentos muito importantes. Inclusive alguns dos mais importantes programas de governo ocorrerão no Paraná”, disse a ministra.

Entre os investimentos e obras, Dilma Roussef citou a conclusão do Contorno Leste de Curitiba e do trecho da BR-153 entre Ventania e Alto do Amparo; a construção de aeroportos, das usinas hidrelétrica de Mauá e de Baixo Iguaçu; a ampliação da Repar em Araucária; a implantação de Hidrovia Paraná-Paraguai e do alcoolduto Campo Grande (MS) e Porto de Paranaguá; e o aporte de R$ 3,2 bilhões para habitação e saneamento básico.

A Repar, disse a ministra, tem hoje um projeto dos mais significativos em termos de ampliação da capacidade de produção. “Entre 2007 e 2010 terá algo em torno de R$ 7 bilhões e pós 2010, a continuidade desse programa vai significar mais R$ 8 bilhões”.

A ministra informou que Caixa Econômica e Ministério das Cidades selecionaram R$ 1 bilhão para saneamento e R$ 474 milhões para habitação. Só o setor de financiamento do segmento de poupança e empréstimo para construção de casas no Paraná vai ter um investimento de R$ 1,6 bilhão.

“O PAC é também programa de distribuição de renda porque assegurar o acesso a água, esgoto e luz elétrica para os brasileiros é, de fato, fazer um processo de inclusão social, é levar a todos os brasileiros o direito a ter acesso a serviços que nos países desenvolvidos ocorreram no início do século XX”, disse.

Dilma Rousseff disse que o governador Roberto Requião teve “um papel relevante na definição” do alcoolduto entre o Mato Grosso do Sul e o Paraná. “Essa região tem a partir de agora, uma grande importância no que se refere à produção de álcool e combustível no Brasil”.

“Isso significará uma revolução industrial porque introduz de uma forma mais generalizada no Brasil, o combustível renovável. Já temos uma liderança internacional com o álcool e, inclusive, temos todo um projeto já se concretizando de exportação”.

PEDÁGIO – A ministra também citou o novo programa de concessões de rodovias federais que reduziram drasticamente os valores das tarifas do pedágio cobrado no Paraná. “Os preços das tarifas cobradas nas concessões no Brasil eram em torno de R$ 7,00 a R$ 12,00 de pedágio. O governo não podia concordar com pedágios abusivos e novo programa, que tem três trechos no Paraná, foi feito de forma assegurar que tivéssemos os mais baratos pedágios do Brasil”.

“E por isso que o pedágio, ao invés de R$ 7,00 a R$ 12,00, ele chegou em alguns trechos a menos de R$ 1,00. Mas no Paraná, a R$ 1,00 no trecho Curitiba-Florianópolis; a R$ 1,30 no trecho São Paulo-Curitiba; e em torno de R$ 2,5 no trecho de Curitiba, divisa com Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Portanto, os mais baixos pedágios no Brasil”, disse.

Dilma Roussef destacou ainda que o novo modelo de concessão de rodovias criou a competição entre as concessionárias, além de possibilitar o acesso ao pedágio bom e barato, a manutenção, a ampliação e a restauração de todos os trechos pedagiados.

CRESCIMENTO – Por fim, a ministra agradeceu a parceria com o Governo do Paraná condução do PAC, destacou a participação dos setores produtivos, sociedade civil e organizada e disse que “é possível crescer, ampliar toda a indústria brasileira, ampliar infra-estrutura”.

“É possível fazer isso, aumentando a renda da população mais pobre, aumentando o emprego para a população, e levando serviços públicos de qualidade”, completou.

Fechar