Written by 12:01 Sem categoria

“A proteção ao usuário da rede em primeiro lugar”, diz João Arruda

o deputado federal João Arruda, presidente da Comissão Especial do Marco Civil da Internet, que realiza seminário dia 17 de maio no Paraná

A proteção do usuário da rede de computadores deve estar em primeiro lugar no Marco Civil Regulatório da Internet. A avaliação é do deputado João Arruda (PMDB-PR), presidente da Comissão Especial da Câmara Federal que estuda o projeto de lei 2126/2011, ao participar na sexta (27 de abril), de um bate-papo com blogueiros, twitteiros, facebookers e ativistas digitais no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná.A proposta analisada pela CE é do Poder Executivo e busca estabeleceros direitos e deveres dos internautas brasileiros, determinar diretrizes de atuação da União, de estados e municípios em relação ao tema, além de definir responsabilidades dos provedores de acesso.

“O Marco Civil precisa assegurar as bases para o uso da internet, sem nenhuma espécie de censura ou cerceamento de liberdade ou de expressão”, disse João Arruda. “Esta legislação deve respeitar a pluralidade de ideias, a abertura e a colaboração, a livre iniciativa, a livre concorrência e a defesa do consumidor”, frisou.

No encontro, João Arruda esclareceu dúvidas e debateu questões relacionadas ao projeto de lei do Marco Civil. O blogueiro Hercules Folador, do Olho Aberto Paraná, questionou sobre o caráter de restrição do projeto, principalmente aos usuários comuns da rede, blogueiros do interior e internautas sem os mesmos recursos dispostos a grandes portais.

O deputado lembrou que o princípio dos direitos humanos e o exercício da cidadania estão garantidos no projeto do marco. “É o mesmo estabelecido na Constituição”, disse.

Propostas

Walter Koscianki, da Associação dos Blogueiros Progressistas do Paraná, entregou um documento com propostas para compor o projeto.

Entre elas, a que veda a sanção de conteúdo nos sites, incentivo à publicação do direito de resposta, patenteamento de códigos com o direito garantido aos usuários e a criação de um dispositivo ou mecanismos de conciliação judicial sobre temas debatidos na internet.

Nesse último caso, a ação pode valer antes de qualquer medida drástica de bloqueio de conteúdo por parte de provedor, por exemplo, se esse modelo de decisão judicial ainda permanecer.

“A intenção é equilibrar as relações entre grandes corporações e portais da mídia e os cidadãos, os usuários da rede, sem as mesmas condições, recursos e estrutura para disputas jurídicas com as empresas”, disse.

Marco Civil

João Arruda adiantou que as propostas serão analisadas pela comissão do marco civil e pelo relator do projeto, deputado Alessandro Molon (PT-RJ). A nova legislação será construída de forma colaborativa, com base nos resultados de audiências em todo o Brasil.

O deputado lembrou ainda que os interessados podem enviar propostas e acompanhar as discussões pelo portal E-Democracia (http://culturadigital.br/marcocivil/), criado pela Câmara Federal para ampliar o debate sobre o tema.

Além de Folador e Koscianki (www.olhoabertopr.blogspot.com.br e www.engajarte-blog.blogspot.com), participaram do bate papo Willian Santos, Gisele Belgamann e Jefferson, do www.falamude.blogspot.com; Luiz Skora (www.skora.com.br); Ronildo Pimntel (www.bocamaldita.com); Cesar Minotto (www.olhoabertopr.blogspot.com.br); Pedro Lichtnow (www.megafone.inf.br);

Cleverson Lima (www.rodopiou.com); Mozzilli (www.mozzilli.com); Milton Alves (www.miltonalves.com); Carlos Heinrique da www.cooperativaparanasocial.blogspot.com; Bruxo Chik Jeitoso, Doático Santos (www.redepmdb.com); estudantes e militantes de redes sociais.

**(( BOX ))**

Seminário da Comissão do Marco Civil da Internet será dia 17 de maio em Curitiba

João Arruda aproveitou para reforçar o convite para o seminário da Comissão Especial do Marco Civil da Internet, dia 17 de maio no Paraná. Segundo ele, quanto mais segmentos participarem dos debates, mais amplo será o Marco.

“A Comissão precisa da opinião dos jornalistas, dos militantes digitais que atuam nas redes sociais, estudantes… de toda a sociedade”, disse. Além de Curitiba, a CE vai realizar audiências no Rio de Janeiro, Porto Alegre, São Paulo, Salvador, João Pessoa e Brasília, na Câmara Federal.

Os trabalhos da CE podem ser acompanhados no site www.joaoarruda.com.br ou pelos perfis de João Arruda no Twitter, Facebook e canal do deputado no Youtube.

 

(Visited 1 times, 1 visits today)

Close