“Qualidade de vida para uns não é a mesma para outros”, diz psiquiatra

São Paulo – SP 28/7/2020 – Grande parte das pessoas deixa os finais de semana sem planejamento, acorda no sábado de manhã e fica até o meio dia na cama pensando no que irá fazer.

O médico psiquiatra Cyro Masci afirma que é impossível determinar exatamente aquilo que gera uma vida com qualidade para uma determinada pessoa. Segundo ele, valores pessoais, hábitos arraigados, rotina e planejamento de vida são fatores que contribuem para que cada um determine aquilo que traz qualidade ao dia a dia.

O que é ter qualidade de vida? Para um faquir indiano, que passe boa parte da vida se aperfeiçoando para sentir menos dor, provavelmente signifique um modo de vida bem diferente de alguém que more numa grande cidade, trabalhe em atividade administrativa e adore comer ostras.

O médico psiquiatra Cyro Masci afirma que é impossível determinar exatamente aquilo que gera uma vida com qualidade para uma determinada pessoa. “Valores pessoais, hábitos arraigados, rotina e planejamento de vida são todos fatores que contribuem para que cada um determine aquilo que traz qualidade ao dia a dia”, afirma.

Escolhas

Algumas escolhas, afirma o especialista, podem ser saudáveis e interessantes para uns, e é natural que o que se comente mais sejam as atividades mais liberadoras de adrenalina ou mais exóticas. Mas isso não significa que, necessariamente, seja o melhor para todos.

Por exemplo, talvez uma pessoa adore ficar o final de semana inteiro jogado numa cadeira lendo contos policiais, mas tenha uma vida sedentária que justifique ao menos uma caminhada leve aos sábados e domingos. Ou ainda a única oportunidade para acompanhar os filhos ao circo quando o desejo espontâneo aponte para a cervejada com os amigos.

“A conclusão imediata é que em algum momento teremos situações e escolhas conflitantes. O primeiro conflito é com o tempo, com o que fazer com as horas que não são determinadas por nosso trabalho”, explica Masci. E acrescenta: “Grande parte das pessoas deixa os finais de semana sem planejamento, acorda no sábado de manhã e fica até o meio dia na cama pensando no que irá fazer naquele final de semana. E se surpreende zanzando pela casa até o final do domingo”.

É curioso como pessoas muito organizadas em diversas áreas de sua vida não tem a menor ideia do que fazer com o tempo livre, aquele em que não se está trabalhando. “Muitos inventam trabalho, outros improvisam qualquer coisa, e os mais sábios já pararam para pensar no que desejam nesta vida, equilibrando o ter coisas com o fazer coisas e com o ser coisas”, analisa o médico. “Um mínimo de planejamento, aberto para fatos inesperados como trânsito ou mal tempo, são sempre bem-vindos”, afirma.

Qualidade de vida talvez signifique, afirma Masci, exatamente um equilíbrio entre essas três facetas de atividades, levando em conta aquilo que se deseja encontrar no futuro se for possível e aquilo que não se pode deixar de fazer, ou de ser. “E mantendo a perspectiva de que não se tem notícia de alguém ter, nos momentos finais de sua vida, reclamado que poderia ter passado mais tempo no escritório, mesmo que em casa”.

Fonte: Cyro Masci, médico psiquiatra em São Paulo, autor dos livros “Síndrome do Pânico: Psiquiatria com abordagem integrativa” e “Biostress: Novos caminhos para o Equilíbrio e a Saúde”.

Outras informações: https://bit.ly/34mE498

 

 

 

Website: http://masci.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como melhorar o controle de notas fiscais no sistema de gestão de frota corporativa?

São Paulo, SP 28/7/2020 –

Aplicativo documenta notas fiscais de abastecimento dos veículos da frota facilitando os processos burocráticos das empresas

Gerenciar o controle do consumo de combustível em uma frota corporativa não parece ser uma tarefa simples tampouco agradável. Na maioria dos casos o processo é manual e demanda tempo que poderia estar sendo empregado em tarefas estratégicas para o negócio.

Para dar suporte às atividades de prestação de contas, a SODEXO adicionou uma nova função de recolhimento automático de notas fiscais à plataforma de gestão de frotas. Esta funcionalidade tem como principal objetivo otimizar o processo burocrático de recolhimento de notas.

O sistema de recolha de notas fiscais pode gerar uma economia para a empresa de até 25% com a retenção dos créditos dos impostos previstos por lei, como ICMS, PIS e Cofins.

Os postos que aceitam Wizeo também ganham em eficiência, porque não precisam se preocupar em subir as notas fiscais eletrônicas na plataforma online do Wizeo para fins de reembolso.

Como funciona:

O condutor realiza o abastecimento em um posto de gasolina que aceita o Wizeo e, na hora do pagamento, pede que a nota fiscal seja emitida no nome da empresa em que trabalha.

O posto de gasolina emite a nota fiscal eletrônica (NFe) com os dados da empresa.

Todas as NFes correspondentes a consumo de combustível com Wizeo que foram emitidas pelos postos de gasolina ficam disponíveis no sistema de gestão de frotas da SODEXO, a plataforma online que o gestor de frota já usa para realizar o controle diário de tarefas.

Com essas informações, o gestor de frota consegue fazer a conciliação financeira (abastecimentos x gastos) na própria ferramenta, ganhando tempo e tomando as providências que forem necessárias para otimizar sua operação.

Clique aqui para acessar o !link infográfico do Wizeo
https://www.sodexobeneficios.com.br/qualidade-de-vida/noticias/gestao-de-pessoas/infografico-como-a-sodexo-reduz-os-custos-com-gestao-de-frota-da-sua-empresa.htm

Clique aqui para mais informações sobre o !link Wizeo, Gestão de Frotas
https://www.sodexobeneficios.com.br/institucional/sala-de-imprensa-sodexo/produtos/sodexo-beneficios-e-incentivos-investe-em-novo-rumo-para-a-gestao-de-frotas.htm

Dados mostram o baixo Nível de Serviço no Brasil

São Paulo, SP 28/7/2020 – Não existe um bom nível de serviço sem medir erros e sem um plano de ação para corrigi-los. Um SLA precisa ser palpável, visível e com foco em melhorias.

Dados mostram o baixo Nível de Serviço no Brasil e Antonio Wrobleski fala sobre a importância da análise de dados para mudar esse cenário.

O conceito de SLA, Service Level Agreement, surgiu na década de 1990 para medir e gerenciar a qualidade do serviço em ambientes computacionais e, atualmente, é utilizado em diversos segmentos. 

Dados do Sindec de 2019 mostram que 40% das reclamações na plataforma Consumidor.gov.br (serviço público que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas para solução de conflitos de consumo) são sobre o setor de telecomunicações e 22% sobre serviços financeiros. 

No Brasil, quase 50% da população não tem acesso a coleta de esgoto, segundo dados do Instituto Trata Brasil, e 35 milhões não têm acesso a água tratada (SNIS 2017).

Durante o isolamento social têm crescido as reclamações contra serviços de internet e telefonia e entregas. Para se ter uma ideia, as queixas sobre compras on-line no Distrito Federal cresceram 74% na pandemia (Procon) e as queixas contra serviços de internet cresceram 71,4% em Campinas (Anatel).

Para Antonio Wrobleski, Presidente do Conselho da Pathfind – empresa de tecnologia que oferece soluções em otimização para as áreas de logística, vendas e trade marketing, esses números mostram que os motivos para essa baixa qualidade na prestação de serviços são diversos, e começam no mau exemplo da gestão pública, mas o principal é que as empresas não estão medindo e nem ao menos se preocupando com seu nível de serviço. 

Para Wrobleski, falta análise de dados. Ele explica que poucas empresas têm se dedicado a olhar seu dashboard, realizar pesquisas com os clientes e, principalmente, a usar esses dados com estratégia para otimizar os serviços oferecidos. 

“Não existe um bom nível de serviço sem medir erros e sem um plano de ação para corrigi-los. Um SLA precisa ser palpável, visível e com foco em melhorias constantes. Sem isso, é apenas mais um documento que ficará esquecido”, diz Wrobleski.

Ele ainda explica que se o Nível de Serviço não for tratado com prioridade, ele nunca será de fato implementado.”Ou a empresa já está crescendo sem ele, ou o país está em crise e até porque existe uma pandemia mundial. Sempre haverá um motivo para não priorizar o que é de fato prioridade”, finaliza.

Um bom nível de serviço e de atendimento significa cliente satisfeito. Cliente satisfeito é cliente fiel, aumentando a taxa de retenção e o lifetime value

Website: http://www.pathfind.com.br