por 11:30 Foz do Iguaçu, Segurança e Policial

Polícia investiga desaparecimento de mãe e filho em Foz do Iguaçu; pais brigam na Justiça pela guarda da criança

Sama e Patrícia foram vistos pela última vez no dia 23 de dezembro, segundo o pai da criança — Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil está investigando o caso de desaparecimento da mãe Patrícia Garcia Adorno e o filho Sama Ñamandu Moreira Garcia, de um ano e meio. Eles foram vistos pela última vez no dia 23 de dezembro, na Vila C, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. A mãe briga na Justiça pela guarda da criança.

A decisão da Vara da Infância e Juventude do município, de agosto de 2020, diz que a guarda do menino foi transferida ao pai, Julio Moreira, de forma provisória, pois a criança apresentava grave quadro de saúde e não estava com a vacinação em dia. Já Patrícia teria afirmado que perdeu a guarda do filho por ser vegana e por discriminação étnico-religiosa.

De acordo com o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), o boletim de ocorrência sobre o desaparecimento dos dois foi registrado pelo pai do menino, que tem a guarda da filho.

O Sicride informou que, até o momento, a investigação aponta que a mãe fugiu de casa com a criança. O caso está em andamento e os dois estão sendo procurados pela Polícia Civil.

Conforme o pai da criança, Julio Moreira, a mãe tem o direito de ficar com o filho durante sete horas e meia por dia. O pai informou que soube do sumiço dos dois quando foi buscar o filho na casa da mãe, mas percebeu que o lugar estava escuro e sem o carro dela na garagem.

Segundo o pai, a família de Patrícia mora em Cidade do Leste, no Paraguai, e disse a Moreira que também não tinha informações sobre os dois.

Julio Moreira disse estar preocupado com o filho, que passa por acompanhamento médico e recebe medicação contínua.

“Estou muito angustiado, desesperado. Estou tratando isso com psicoterapia e tentando encontrar uma saída para suportar tudo isso”, contou.

O desaparecimento ocorreu após a mãe conseguir na Justiça mais tempo para ficar com a criança. Anteriormente, ela podia ficar com o filho três horas por dia para amamentá-lo.

Informações sobre a mãe e filho podem ser passadas pelo o telefone 181.

Fonte: G1

Fechar