Written by 16:40 Brasil, Paraná • One Comment

‘PMDB-PR deve entregar cargos no governo Dilma’

'PMDB-PR deve entregar cargos no governo Dilma'

O PMDB local enviou nesta segunda-feira, 31, a “carta de Curitiba” ao 1º secretário-geral do partido, Geddel Vieira Lima, em que defende a entrega de cargos ocupados no governo Dilma Rousseff (PT) e a oposição clara ao prefeito Gustavo Fruet (PDT), além de críticas ao PT na condução de políticas no governo federal.

Os peemedebistas, no entanto, reiteraram o apoio ao vice-presidente Michel Temer, presidente nacional da legenda. A partir desta semana, o PMDB exibirá uma série de inserções na TV com o mote “a verdade é sempre a melhor escolha” e Temer afirmará que o partido “não tem medo da verdade que virá”.

“A gestão realizada pela presidente Dilma e pelo PT, que têm a maioria dos ministérios, demonstra pura incompetência na condução macroeconômica. Ao ponto de ter imposto de forma autoritária uma política econômica absolutamente equivocada durante o seu primeiro governo, escondendo as consequências, e agora quando o parlamento de forma democrática, que teve que engolir as inúmeras medidas impostas por ela, decide aprovar medidas de interesse dos trabalhadores e dos setores produtivos nacionais, passa a ser acusado de armar pauta bomba”, diz trecho da carta.

Integra da Carta de Curitiba

Os membros do PMDB de Curitiba, após profunda análise da situação política e econômica resolvem sugerir à direção do partido a entrega dos cargos no governo federal.

Para nós peemedebistas, a gestão realizada pela presidente Dilma (PT) e pelo PT, que têm a maioria dos ministérios, demonstra pura incompetência na condução macroeconômica. Ao ponto de ter imposto de forma autoritária uma política econômica absolutamente equivocada durante o seu primeiro governo, escondendo suas consequências, e agora quando o parlamento de forma democrática, que teve que engolir as inúmeras medidas impostas por ela, decide aprovar medidas de interesse dos trabalhadores e dos setores produtivos nacionais, passa a ser acusado de armar pauta bomba.

Nós peemedebistas, dizemos: quem impôs as medidas econômicas e impôs sua aprovação à base aliada, foi a Presidente Dilma(PT) e o PT, que agora quer reverter conquistas, e sob a alegação de se fazer um ajuste fiscal, impõe arrocho fiscal, desemprego, reajuste de tarifas, perda de poder de compra e de investimento. Afora o fato de, por incompetência, ter realizado uma gestão de empresas públicas de maneira irregular e incompetente, está tendo que cada vez mais privatizar o patrimônio público para cobrir rombos, e em razão das empresas nacionais investigadas, estarem impossibilitadas de participar das licitações, abre para a participação de empresas internacionais.

E somado ao contexto da crise econômica causado por Dilma(PT) e o PT, ter como efeito a valorização do dólar, estamos assistindo os capitais internacionais comprando terras, imóveis e empresas, a preço de banana, desnacionalizando de vez o país. E para piorar, assistimos ao sucateamento da administração pública, como mostram as denúncias feitas pelos servidores públicos federais que se encontram em greve em diversos setores do serviço público neste momento.

Para um governo e um partido que atacavam o neoliberalismo tucano, nada pior, para demonstrar que o governo de Dilma (PT) e do PT foi apenas e tão somente um governo, que distribuiu migalhas através de programas sociais e gerou empregos com salários de baixo valor, pois com sua política econômica acabou por fechar o postos de trabalho bem remunerados da indústria brasileira que respira sob aparelho.

Modelo de gestão e de administração que o PDT e PT, apoiam e ajudam a implementar em Brasília e repetem em Curitiba sob comando do prefeito Gustavo Fruet (PDT) e Miriam Gonçalves (PT). Com o mesmo discurso de arrocho e ajuste fiscal cortaram programas sociais e investimentos em novos equipamentos públicos. Nunca se viu Curitiba tão parada em obras e realizações.

O que é pior, a administração atual apenas administra as realizações das gestões anteriores… e de forma incompetente, é claro. Diz o PMDB de Curitiba, não é por acaso que desestruturou programas e inúmeros equipamentos públicos, aumentando em muito o número de mendigos perambulando pelas ruas, o número de ruas esburacadas, de terrenos baldios e postos de saúde sem mínimas condições de atendimento.

As 40 creches que prometeram construir, até agora não foram entregues. O transporte público que era modelo, acabou sendo deteriorado e desintegrado, tendo como ápice o Metrô, lançado pela presidente Dilma (PT) e pelo Fruet (PT), em grandes solenidades, e que até agora, não saiu do papel.

O PMDB de Curitiba ciente que o programa do partido Esperança e Mudança, considerado o melhor documento programa da política brasileira a ser realizado, defende que o mesmo seja levado a prática e respeitado como meta, como nos ensinou Ulisses Guimarães.

Afinal, em suas linhas o PMDB prega o seu compromisso com os trabalhadores, com os pequenos e médios empresários nacionais e com o fortalecimento da administração pública, com o apoio aos seus servidores.

Diante disso, o PMDB de Curitiba defende que o partido entregue seus cargos no governo federal e lance uma candidatura que recoloque Curitiba como cidade de vanguarda na gestão de políticas públicas, da qual sempre foi referência nacional e internacional.

Acreditamos que, assim, e com a liderança serena de nosso presidente nacional, vice-presidente da República, Michel Temer, o PMDB cumprirá fielmente seu papel perante o Brasil.

(Visited 1 times, 1 visits today)

Close