por 11:30 Internacional

Para Gilmar Mendes, Lava Jato causou um colapso no Judiciário

Em entrevista neste domingo (18), Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que algumas instâncias da operação Lava Jato “sucumbiram às pressões políticas”.

O ministro do STF, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, avaliou que a Lava Jato provocou um “colapso” no Judiciário. “O [Superior Tribunal de Justiça] STJ não cumpriu adequadamente seu papel”, afirmou.

Ele também falou sobre os processos do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, e ressaltou que o STF anulou suas condenações por questões meramente processuais. Em seguida, enfatizou: “Não foi uma absolvição”. Vale lembrar que o STF não julgou o mérito se Lula cometeu corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Para Gilmar Mendes, o julgamento de Lula não provocará um efeito cascata entre outros réus da Lava Jato. “É uma situação muito personalista mesmo”, avaliou.

O ministro do STF fez críticas às instâncias inferiores  da Justiça do Brasil, dizendo que alguns magistrados subiram à pressão midiática do caso. “Havia um pouco de ambiente de mídia opressiva. Uma ânsia de decidir rapidamente. E decidir de acordo com aquilo que a Lava Jato tinha estabelecido”, afirmou.

Para ele, esses vícios da Lava Jato resultaram “em um processo, um inquérito, contra o presidente do STJ, ministro Falcão, e contra o Marcelo Navarro. O tribunal, ele próprio, perdeu a ossatura. Ele não cumpriu, adequadamente, o seu papel”.

Questionado sobre a suspeição do ex-ministro Sergio Moro, Gilmar Mendes entende que a questão já está resolvida. “Nós temos que ser rigorosos com as regras processuais”, afirmou, dando a entender que é improvável uma reviravolta a favor de Moro no tribunal.

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursa na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP)

com informações da Agência Sputink

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com