Oeste do Paraná contra o novo modelo de Pedágio

Várias entidades do Oeste do Paraná estão envolvidas no projeto que tenta impedir a continuação de um modelo que cobra as mais caras tarifas de pedágio do País e que é considerado extremamente prejudicial à economia estadual. O movimento em defesa de um pedágio justo e equilibrado, contra o futuro modelo de cobrança da outorga onerosa, será lançado nesta quarta-feira (3) em Cascavel.

Documento com um relato sobre a atual situação e o modelo proposto será entregue ao presidente Jair Bolsonaro que, na quinta-feira (4), vai inaugurar em Cascavel o Centro o Centro Nacional de Treinamento em Atletismo (CNTA). A inauguração está marcada para as 9h30.

O movimento será dará em forma de campanha e pretende sensibilizar a população sobre os danos do pedágio à economia. O novo modelo, proposto pelo governo federal e com apoio do governo paranaense, traz o risco de um pedágio ainda mais caro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MPF defende arquivamento por prescrição do caso do triplex de Lula

Ministério Público Federal opinou pelo arquivamento por prescrição do processo de Lula sobre o triplex do Guarujá, citando a decisão do STF que anulou as condenações do petista e transferiu o caso para Justiça Federal de Brasília.

Para a procuradora Márcia Brandão Zollinger, como Lula já tem 76 anos, o reinício do processo em Brasília demanda constatação objetiva de que a pena aplicada a ele já estaria prescrita.

Em uma petição de 17 páginas, o MPF afirma que “inexiste pressuposto processual para o oferecimento ou ratificação da denúncia”.

Leia mais em O Antagonista

TRE cassa vereadores de Cascavel

O TRE cassou os mandatos dos vereadores Aldonir Cabral (PL) e Celso Dal Molin (PL) de Cascavel por fraude na candidatura de mulheres. A decisão vale para a chapa completa do PL. Cabral e Dal Molin vão recorrer da decisão. Em Paranavaí, dois vereadores do PSB perderam o mandato.  As vereadoras Zenaide da Saúde (PP) e Maria Clara (MDB) assumiram os mandatos no lugar de Luiz Aparecido da Silva (PSB) e Antônio Valmir Trossini (PSB).