Escrito por 17:40 Litoral, Obras e infraestrutura

Moradores de Pontal do Paraná reivindicam a construção de uma nova rodovia de acesso à cidade

Moradores de Pontal do Paraná, no Litoral, aproveitaram o movimento intenso de turistas neste verão para voltar a reivindicar a construção de uma nova rodovia de acesso à cidade. Neste domingo (5), eles usaram o grande congestionamento de carros que se formou na rotatória do munícipio como pano de fundo para reforçar a necessidade de um apoio estrutural à PR-412. Informações Bem Paraná.

A comunidade ressaltou que a ligação atual já não consegue absorver com segurança a demanda diária de veículos e pedestres da região, especialmente nos períodos de maior movimento, como as festas de fim de ano, carnaval e feriados prolongados, quando a população da região passa de 1 milhão de pessoas.

Durante o protesto pacífico, o grupo se mostrou favorável à construção da chamada Faixa de Infraestrutura do Litoral. O projeto do Governo do Estado prevê a pavimentação de 23,2 quilômetros, numa via a ser aberta, paralela à da PR-412, entre Praia de Leste e Ponta do Poço, em Pontal do Paraná, com a implantação e melhoria de quatro acessos rodoviários, nos balneários de Santa Terezinha, Ipanema, Shangri-lá e Atami. O investimento previsto é de R$ 270 milhões.

“A mobilidade é um problema seríssimo aqui. O acesso à cidade é um caos, tanto na chegada quanto na saída. Com isso, não conseguimos dar conforto aos turistas”, afirmou Ercio Luiz Weschenfelder, presidente da Associação Comercial de Pontal do Paraná.

Ele citou os números de uma recente pesquisa encomendada pela associação para validar a concordância da população local com o projeto. Levantamento feito em outubro pela Paraná Pesquisas revelou que 89,7% das pessoas são favoráveis a construção da Faixa de Infraestrutura. O instituto ouviu 478 habitantes, com margem de erro de 4,5%.

“É urgente. Dependemos desta ação para o desenvolvimento do município e da região como um todo. Queremos ver o crescimento econômico da cidade, com geração de emprego e renda. E isso passa diretamente por essa via”, ressaltou Marcos Fioravanti, mais conhecido como Marcos Casquinha, prefeito do Pontal do Sul.

Ele reforçou que o município já conseguiu todas a licenças ambientais necessárias para o início da obra.

AVENIDA – Presidente do Conselho de Segurança de Pontal do Paraná, Roberto Stelmacki Júnior lembrou que a Faixa de Infraestrutura agrega benefícios paralelos à população fixa ou temporária do Litoral.

Segundo o projeto, a atual rodovia será totalmente remodelada, tornando-se via urbana. Ganhará restauração e duplicação, além da implantação de vias marginais, em ambos os lados da rodovia, calçadas para pedestres e ciclistas.

“Facilitando a acessibilidade, abrimos a possibilidade de novos investimentos, sejam industriais ou portuários. Pontal tem um grande potencial, mas é carente de investimentos”, disse Stelmacki Júnior. “Todos aqui sonhamos com essa nova estrada”, completou.

A urbanização prevê ainda implantação de nova via paralela à PR-412, com aproximadamente 1.750 metros, saindo da PR-407, formando um binário. O projeto vai definir nova iluminação e sinalização, além de readequação das redes de água, luz e concessionárias de telefonia e televisão.

OUTRAS AÇÕES – Além da rodovia, o projeto da Faixa de Infraestrutura abrange um ramal ferroviário, gasoduto, rede elétrica, canal de drenagem e redes de saneamento.

Será reestruturado o atual canal de drenagem, com 17,8 quilômetros de extensão, além de construção de mais 1,1 quilômetro de canal. O novo canal vai resolver um problema antigo da região litorânea, que são pontos de alagamentos.

Quando estiver em funcionamento, permitirá a drenagem da chuva para dentro do canal. Desta maneira os resíduos e lixos que normalmente são arrastados pelas chuvas e jogados diretamente ao mar irão ao canal, melhorando a qualidade da água do mar, com impacto direto na balneabilidade.

TURISMO – A Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia, Entretenimento e Similares (Feturismo) qualificou a Faixa de Infraestrutura como essencial no processo de ampliação do turismo no Litoral. Somente assim, explicou Fábio Aguayo, vice-presidente do órgão, o Estado terá mais condições de atrair novos visitantes, que hoje optam por passar as férias em estados vizinhos como Santa Catarina. “Queremos o Litoral do Paraná com uma nova realidade em termos de infraestrutura”, afirmou.

 

Close