“Foz do Iguaçu é um orgulho para todos os brasileiros”, afirma secretário nacional de Proteção e Defesa Civil

O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, esteve em Foz do Iguaçu nesta quinta-feira (28) para visitar a região Norte da cidade, localidade mais afetada pelo temporal do último final de semana. Na visita, o representante do Ministério de Desenvolvimento Regional disse que Foz é um orgulho para todos os brasileiros, em alusão às rápidas respostas que a cidade dá em situações de emergência. 

“Foz do Iguaçu é um orgulho para todos os brasileiros. Me desloquei ao Paraná para acompanhar de perto os trabalhos de reparos causados pela tempestade. Foz possui uma organização exemplar e pode contar sempre com o Governo Federal, pois os recursos públicos são do povo brasileiro, e estamos aqui para servir bem a população”, comentou o secretário em reunião com o prefeito Chico Brasileiro. 

A equipe do Ministério do Desenvolvimento Regional conversou com a reitoria da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus de Foz do Iguaçu, que teve a sede bastante danificada. Também tratou com as coordenações estadual e municipal da Defesa Civil a definição de um plano de trabalho, que inclui a declaração e reconhecimento de Estado de Calamidade regionalizado para que a União possa aportar recursos emergenciais em estruturas públicas danificadas pela tempestade, principalmente na Unioeste. 

“Logo após o fenômeno natural do último fim de semana, as equipes do Município, sob a coordenação da Defesa Civil, agiram rápido para diminuir os transtornos e prestar apoio à população. Somos gratos aos governos do estado e federal por todos os suportes”, destacou o prefeito Chico Brasileiro. 

Vendaval


Com precipitação média de 50 mm de chuva, registro de queda de granizo e rajadas de ventos de 80 km/h, o vendaval registrado no último sábado (23) causou a queda de mais de 100 árvores, danificou diversos postes da iluminação pública e interrompeu temporariamente os serviços de água, luz e comunicações em alguns pontos da cidade, principalmente na região Norte.

Presenças

Além da equipe técnica do MDR também participaram das reuniões o secretário municipal de Segurança Pública, Reginaldo José da Silva; os coordenadores de Defesa Civil do Estadual, coronel Fernando Schunig; do Município, Inspetor Vandro Cézar; e o comandante do 9º Grupamento de Bombeiros, Tenente-Coronel Antônio Schinda.

PMFI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planejamento, investimentos e retorno

Dos R$ 6,75 cobrados do consumidor na bomba pelo litro de gasolina, apenas R$ 2,33 vão para os cofres da Petrobras

Joaquim Silva e Luna

A Petrobras acabou de anunciar seu Plano Estratégico para o período de 2022 a 2026. Se pudermos resumir o plano numa única frase, seria: investimento com visão de futuro e retorno para a sociedade.

Uma boa notícia é que a companhia venceu, depois de ter chegado a cerca de US$ 160 bilhões em 2014, a batalha contra o maior endividamento corporativo da história.

Foram sete anos perseguindo a redução da dívida até chegar a um patamar saudável de endividamento. Com isso, a empresa passa a pagar menos juros e amplia seus investimentos em 24%, passando os US$ 68 bilhões.

Cada real bem investido pela companhia tem um efeito multiplicador na economia. Para ter uma ideia, a atividade de exploração e produção (E&P) de petróleo e gás tem um regime tributário especial: paga mais impostos para operar do que qualquer outra atividade econômica.

Em termos de emprego, cada R$ 1 bilhão investido nos negócios de E&P gera, em média, 10 mil empregos. Por isso, quando olhamos para o horizonte 2026, vemos mais investimentos trazendo mais desenvolvimento para municípios, estados e União.

O plano continua a demonstrar o esforço da Petrobras em transformar, cada vez mais, recursos em riquezas. O valor do pré-sal só existe na medida em que seu petróleo possa ser extraído, gerando mais recursos para a sociedade.

A transição energética é uma realidade e pode limitar a janela de tempo para o aproveitamento dos recursos fósseis. Se não for desenvolvido agora, o pré-sal, que hoje representa grande potencial para o país, pode perder valor no futuro. Por isso, temos pressa no pré-sal. O pré-sal já representa mais de 70% da produção da Petrobras e pode ser muito mais. Trata-se de petróleo competitivo na transição para a economia de baixo carbono, pois apresenta baixo teor de emissões e campos de alta produtividade.

Não podemos deixar de ressaltar que, além dos investimentos e dos tributos, há uma importante contribuição da Petrobras à sociedade por meio do pagamento de dividendos. Só em 2021, a projeção de dividendos para a União chega a R$ 27,1 bilhões. Se somados aos tributos pagos à União e aos demais entes federativos, a contribuição da Petrobras aos cofres públicos supera R$ 220 bilhões.

Esses recursos entram no caixa do Estado brasileiro e, se for oportuno, podem ser convertidos em políticas públicas. Quanto mais recursos a companhia gerar, maiores serão os benefícios para a sociedade. De forma direta ou indireta, todos os brasileiros são acionistas da Petrobras.

Como se sabe, o Brasil possui grandes reservas geológicas e um mercado em crescente evolução. A continuidade desse círculo virtuoso de exploração e produção depende da manutenção de condições seguras de mercado, preços livres, além de um ambiente atraente para mais investimentos, gerando emprego e renda.

É importante lembrar que esses investimentos da Petrobras são remunerados por apenas uma parcela do preço final que o consumidor paga nos postos. No caso do litro da gasolina, dos R$ 6,75 cobrados na bomba, apenas R$ 2,33 vão para a Petrobras (segundo coleta de preços médios ao consumidor pela ANP de 7 a 13 de novembro de 2021 e a parcela Petrobras vigente desde 26 de outubro de 2021). Essa é a parcela que sofre impacto do câmbio e do mercado, em que a paridade de preço internacional é apenas um dos termos da equação.

Em 2021, a Petrobras reduziu os preços da gasolina nas refinarias em quatro ocasiões e aumentou em 11. Enquanto isso, segundo a ANP, o preço médio nas bombas aumentou 34 vezes. Em valores, a parcela da Petrobras nas bombas variou R$ 0,98, enquanto o preço ao consumidor na bomba aumentou R$ 2,24 por litro. Portanto a formação do preço dos combustíveis no Brasil vai muito além da Petrobras.

Por fim, lembramos que a prática competitiva de preços é essencial para o abastecimento do mercado e para a manutenção do ciclo de investimentos. Com seu novo Plano Estratégico, a Petrobras demonstra que quer ser ainda mais forte e mais saudável; e quer fazer ainda mais pelo Brasil.

Joaquim Silva e Luna
Presidente da Petrobras

João Doria vence prévias e será candidato do PSDB à presidência

O governador de São Paulo João Doria vai representar o PSDB nas eleições do ano que vem. O partido realizou concluiu neste sábado (27) após ser adiada em razão de problemas no aplicativo de votação dos filiados — o aplicativo foi substituído para a votação deste hoje. Dória concorreu com o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto e com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

Dos 44,7 mil filiados habilitados para votar, cerca de 30 mil votaram, somadas as votações de domingo passado e deste sábado.

 

Most Popular Topics

Editor Picks