0 Shares 122 Views

Follador defende projeto do plano de previdência dos servidores do Paraná

14 de abril de 2015
122 Views

follador

Um dos maiores especialistas em previdência do País, Renato Follador, defendeu nesta terça-feira (14) o novo projeto de reestruturação do plano de previdência dos servidores públicos do Paraná durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Assembleia Legislativa.

“É a solução possível para que o Fundo seja o mais longevo possível”, acentuou. Follador acredita que a proposta de injeção de mais R$ 1 bilhão a partir do reinício dos repasses de royalties da usina de Itaipu, em 2021, poderá estender a solvência do Fundo para mais de 30 anos. “As hipóteses atuariais estão corretas”, disse. O governo acatou emenda apresentada pelos servidores, garantindo que, caso os valores liberados por Itaipu não alcance esse montante, o restante sairá do Tesouro.

Follador, que foi o idealizador da Paranaprevidência em 1998, disse que, desde a concepção até agora, foram cometidos alguns “pecados”, entre eles a não contribuição de 11% tanto por parte dos ativos quanto dos aposentados e a decisão política de não realizar aplicações no mercado de ações. Ele acredita que, caso isso tivesse acontecido, o Fundo de Previdência teria hoje cerca de R$ 15 bilhões, contando apenas os valores que deixaram de entrar entre 2004 e 2009, e não os R$ 8,3 bilhões atuais.

Pelo novo projeto de lei, haverá migração do Fundo Financeiro para o Fundo Previdenciário de 33.556 beneficiários, entre aposentados e pensionistas, que possuírem 73 anos ou mais até 30 de junho de 2015. Com isso, o caixa do Estado terá um alívio financeiro de cerca de R$ 142,5 milhões ao mês.

Para Follador, a reestruturação da proposta pelo projeto de lei que está na Assembleia Legislativa precisa ser acompanhada da criação de uma previdência complementar. O projeto enviado pelo governo prevê a criação de um grupo de trabalho, com participação paritária de representantes dos servidores públicos, dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, do Tribunal de Contas e do Ministério Público, com o objetivo de discutir o aperfeiçoamento do Regime Próprio de Previdência Social e o Regime de Previdência Complementar.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Cláudio Romanelli, disse que o governo vai acatar também uma emenda apresentada pelos servidores que prevê que o governo vai repassar 1% da folha de pagamento do Estado para a Paranaprevidência a partir de 2030, com aumento gradual de 1 ponto porcentual por ano até chegar em 22% em 2050.

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.