por 11:19 Paraná Produtivo

Coluna Paraná Produtivo – 06/05/2021

Exportações de café

As exportações brasileiras de café em grão em abril chegaram a um total de 3.453.835 sacas de 60 quilos no acumulado fechado do mês, com 20 dias úteis computados (média diária de 172.642 sacas), com receita chegando a US$ 464.913.700 (média diária de US$ 23,246 milhões), e preço médio de US$ 134,65 por saca. A receita média diária obtida com as exportações de café em grão em abril foi 27,1% maior no comparativo com a média diária de abril de 2020, que fora de US$ 18,289 milhões. Já o volume médio diário embarcado foi 25,49% maior que o de abril de 2020, que tinha o registro de 137.570 sacas diárias de média. As informações são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Exploração mineral

Em 2020, 181 municípios paranaenses e o Estado receberam R$ 25,4 milhões de Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) e de royalties pela exploração de petróleo e gás. A informação está no Informe Mineral 04/2021, divulgado pela Divisão de Geologia do Instituto Água e Terra (IAT), órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. O recolhimento foi realizado por 501 empresas. A mineração de rochas carbonáticas liderou com 35,1% do valor, seguida de rochas para produção de brita e revestimento (29,8%) e areia (7,9%). Os royalties pagos pela Petrobras pela exploração do xisto tiveram um aumento de 15,37% de 2019 para 2020, passando de R$ 7,09 milhões para R$ 8,18 milhões. O Estado recebeu R$ 5,73 milhões e o município de São Mateus do Sul R$ 1,64 milhão.

Aço no Paraná

A Gerdau, uma das maiores empresas de aço do País, anunciou na última terça-feira, 4, em reunião com o governador Ratinho Junior, a retomada da produção do metal na usina localizada em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. O investimento será de R$ 55 milhões e as atividades devem recomeçar em agosto. A empresa havia desativado as operações de produção em 2014. A retomada se dá em um cenário de ascensão da demanda por aço no mercado interno, especialmente nos setores de construção civil, infraestrutura e indústria. A expectativa da empresa é de gerar 300 novos empregos diretos e mais de 6 mil indiretos. Os investimentos serão voltados principalmente à modernização de equipamentos e maquinário.

Gerdau em Araucária

A unidade de Araucária estava hibernada desde 2014 e terá suas atividades retomadas gradualmente, com os volumes ajustados em linha com a evolução do mercado nacional. “Estamos otimistas com as boas perspectivas apresentadas para o mercado doméstico. Com o reinício da produção, a empresa visa seguir atendendo o aumento da demanda por aços longos no Brasil, bem como otimizar o fornecimento de produtos aos clientes em todo o País em associação às capacidades já existentes”, afirmou Marcos Faraco, vice-presidente da Gerdau. A Gerdau possui oito filiais comerciais no Paraná, que são como grandes lojas de venda e distribuição de produtos de aço. Elas estão localizadas em Cascavel, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa e Umuarama.

​BRF no Paraná

A empresa de alimentos BRF anunciou na última terça-feira, 4, um investimento de R$ 292 milhões para ampliação das suas unidades no Paraná. O valor deve ser aplicado até 2022 e abrange as unidades industriais de Toledo, Ponta Grossa, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Carambeí e Paranaguá. O anúncio foi feito durante reunião do governador Ratinho Junior com o CEO da BRF, Lorival Luz. No Paraná, além das seis unidades industriais e do centro administrativo, a empresa também possui um Centro de Distribuição em Londrina. A BRF é uma das maiores produtoras de alimentos do mundo, abarcando marcas como Sadia, Perdigão e Qualy. Presente em mais de 130 países, possui mais de 100 mil colaboradores diretos.

Novas subestações da Copel 

Mais energia disponível e cada vez menos interrupções no fornecimento. É o que a Copel mira com os empreendimentos em andamento da região do Norte Pioneiro paranaense, onde três novas subestações estão em construção. Em Santa Amélia, as obras estão em fase de finalização e em Salto do Itararé a conclusão é prevista para julho. No município de Joaquim Távora fica o maior dos três empreendimentos, que será entregue no final de 2021. O investimento somado é de R$ 29 milhões. As novas subestações beneficiarão diretamente cerca de 11 mil unidades consumidoras nos três municípios citados e também em Santana do Itararé. Além disso, as obras terão interligação regional, proporcionando maior flexibilidade de operação no fornecimento aos municípios de Abatiá, Bandeirantes, Siqueira Campos, Carlópolis e Santo Antônio da Platina.

Paraná Trifásico

Outra frente de trabalho da Copel está na melhoria das redes elétricas rurais, através do Programa Paraná Trifásico. Para esta área, já foram destinados R$ 13 milhões para a construção de 82 quilômetros de linhas renovadas pelo programa no Norte Pioneiro, que levou obras aos municípios de Carlópolis, Guapirama, Ibaiti, Japira, Joaquim Távora, Santana do Itararé, Santo Antônio da Platina, Siqueira Campos e Wenceslau Braz. De acordo com o gerente regional de Projetos e Obras da Copel Aparecido Alberto Tomazeli, a substituição das redes monofásicas trazem benefícios para o agronegócio, que ganha mais qualidade na energia e menos desligamentos. “Com o aumento da malha trifásica, a conexão para o produtor rural pode acontecer a um custo muito inferior do que anteriormente”, destaca.

Etanol de milho

A produção de etanol de milho brasileira vem crescendo exponencialmente, especialmente nos últimos anos. Dados da União Brasileira do Etanol de Milho (Unem) demonstram que o início do registro desta fabricação foi em 2013/14, com 30 milhões de litros, e que, desde então, ela segue aumentando. Para a safra concluída no final de março, a previsão mais recente da instituição era uma produção nacional de 2,66 bilhões de litros do biocombustível. Efetivamente, conforme números divulgados pela União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica), o volume no Centro-Sul chegou a 2,57 bilhões – próximo da previsão anterior da Unem, de 2,5 bilhões. Já para 2021/22, a expectativa da entidade é que sejam produzidos 3,22 bilhões de litros de etanol de milho, um acréscimo de 25,3% no comparativo safra a safra.

Balança comercial

O mês de abril marcou uma temporada de recordes no comércio exterior brasileiro. A começar pelo superávit de US$ 10,35 bilhões – o maior valor absoluto na comparação com qualquer mês do ano –, impulsionado por um crescimento de 67,9% em relação a abril de 2020. O maior superávit até então havia sido registrado em julho do ano passado, de US$ 7,6 bilhões, considerando toda a série histórica iniciada em 1997. As exportações também bateram recorde, com aumento de 50,5%, somando US$ 26,48 bilhões. Nesse caso, o maior valor anterior era o de agosto de 2011, com US$ 20,08 bilhões. Já as importações no mês atingiram US$ 16,13 bilhões, em alta de 41,1%, com o quinto maior valor para meses de abril. Assim, a corrente de comércio subiu 46,8%, alcançando US$ 42,61 bilhões no período, o que também representa um recorde, mas apenas para os meses de abril.

Venda de veículos

O licenciamento de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil em abril caiu 7,54% ante março, para 175.120 unidades, informou a associação de concessionárias, Fenabrave, na última terça-feira, 4. Na comparação com abril do ano passado, pouco após a entrada em vigor de medidas de isolamento social no país que forçaram o fechamento de lojas e interrupção na produção de fábricas, os emplacamentos de abril dispararam 214%. Em abril de 2020, as vendas tinham somado 55.706 unidades. Apesar da queda nas vendas em abril deste ano ante março, os estoques de carros e comerciais leves seguem baixos, informou a entidade. Segundo a Fenabrave, os inventários correspondem a 14 dias de vendas em média, metade do considerado ideal pelo setor.

Preços ao produtor

O Índice de Preços ao Produtor (IPP) registrou alta de 4,78% em março na comparação com o mês anterior, segundo maior avanço da série histórica iniciada em 2014. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou na última terça-feira que a alta recorde de fevereiro foi revisada de 5,22% para 5,16%. O IPP agora acumula elevação de 33,52% nos últimos 12 meses, taxa também recorde. O IBGE explicou que o resultado de março reflete, principalmente, o aumento dos preços nas atividades de refino de petróleo e produtos de álcool (16,77%), outros produtos químicos (8,79%), madeira (7,73%) e papel e celulose (7,18%). O IPP mede a variação dos preços de produtos na ‘porta da fábrica’, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. 

Endividamento das famílias

O número de famílias com dívidas no país alcançou em abril 67,5% do total de entrevistados na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), uma alta de 0,2 ponto porcentual (p.p.) em relação a março de 2021, a quinta seguida. Em relação a abril de 2020, houve alta de 0,9 p.p. Com isso, o número de endividados alcançou nível recorde, igualando o patamar de agosto do ano passado. Para a CNC, a alta do endividamento já era esperada, diante dos impactos da pandemia de covid-19 sobre a renda dos consumidores. O crescimento da proporção de famílias endividadas, por si só, não é um fenômeno preocupante, desde que os avanços não sejam acompanhados de altas significativas da inadimplência.

Fechar