Escrito por 12:28 Itaipu Binacional, Obras e infraestrutura

Boletins permitem acompanhar passo a passo obras da Ponte da Integração

Compartilhe

Publicados e divulgados mensalmente pelo DER, boletins são “mais uma forma de deixar transparente o processo”, na avaliação do diretor-geral brasileiro de Itaipu.

A evolução das obras da Ponte da Integração, que vai unir Foz do Iguaçu ao município paraguaio de Presidente Franco, pode ser acompanhada mês a mês por meio de um boletim publicado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), responsável pela gestão dos trabalhos de construção.

Financiada com recursos da margem esquerda da Itaipu Binacional, a ponte deverá ser concluída em 2022, juntamente com a Perimetral Leste, que vai conectar a estrutura à BR-277, desviando o tráfego pesado de caminhões do centro de Foz.

O acompanhamento das obras pelos boletins do DER permite saber exatamente qual o estágio da obra e, indiretamente, como estão sendo aplicados os recursos da Itaipu.

Na avaliação do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, “essa ferramenta (o boletim) vai possibilitar que a nossa gente veja passo a passo o avanço da obra. A divulgação transparente atende diretriz do governo do presidente Jair Bolsonaro, de acordo com os princípios da boa administração pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”.

Qualquer pessoa pode ter acesso aos boletins do DER. Para isso, basta se inscrever para receber o boletim por e-mail. A inscrição deve ser feita no portal do DER-PR, por meio deste link: http://www.der.pr.gov.br/inscrever.

Cada edição traz um resumo das principais realizações do mês, detalhes sobre a estrutura e a porcentagem de conclusão da obra de acordo com a medição mais recente.

A primeira edição do boletim aborda a chegada das maiores vigas longarinas metálicas da obra, no lado brasileiro, enquanto a edição mais recente destaca o início da montagem da aduela metálica, estrutura composta pelas duas longarinas e sete transversinas metálicas, e que será a primeira a compor o vão livre da ponte.

O avanço dos serviços nos pilares da ponte do lado paraguaio é detalhado em ambas as edições, com ênfase no método de concretagem utilizado para subir a estrutura.

Os boletins também incluem informações sobre programas ambientais realizados no âmbito da obra, como a prospecção arqueológica, segundo plano de trabalho aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), monitoramento da qualidade da água no Rio Paraná, no Rio Iguaçu e em alguns rios menores da região, além do monitoramento da fauna local.

A ponte

Com 760 metros de extensão e vão-livre de 470 metros, a segunda ponte internacional entre o Brasil e o Paraguai representa um investimento de cerca de R$ 323 milhões. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro nas laterais. A previsão é que a ela seja entregue em três anos. Aproximadamente 30% da construção já foi concluída. Outros R$ 140 milhões serão investidos nas obras da Perimetral Leste.

Close