por 15:56 Paraná

Associação Paranaense de Suinocultores comemora 50 anos com novas conquistas

Criada em 30 de março de 1971, a Associação Paranaense de Suinocultores, APS, completa 50 anos em 2021, contribuindo para o Paraná produzir carne suína de qualidade, com Sustentabilidade, Bem-Estar Animal e Biosseguridade nas granjas.

A entidade representa milhares de suinocultores junto à agroindústrias e cooperativas que desenvolvem a atividade, e desempenha papel importante no processo que garante ao Paraná um status sanitário que lhe permite competir no mercado nacional e avançar com as exportações de carne suína.
A atuação da APS fomenta uma atividade que fortalece a economia de vários municípios onde estão instaladas cerca de 7.000 granjas comerciais de suínos e diversas agroindústrias com plantas de abate de suínos.

Suinocultura forte e expressiva

O Paraná é um dos maiores produtores de suínos do Brasil. Produz cerca de um milhão de toneladas por ano, com mais de 620 mil matrizes suínas alojadas e quase dez milhões de cabeças abatidas anualmente. Com o mercado em expansão, logo atingirá 15 milhões de abates/ano.

Como atividade econômica, a suinocultura contribui atualmente com cerca de R$ 6,5 bilhões para a formação do VBP do Paraná. Dessa forma, gera empregos e renda no campo e na cidade, sendo mais intensa nas regiões Oeste e Sudoeste, onde se concentra a maior parte da produção, também desenvolvida nas regiões Sul e Centro-Sul. O destaque são os municípios de Toledo, o maior produtor nacional de suínos, Marechal Cândido Rondon, Entre Rios, Palotina, São Miguel do Iguaçu, Matelândia, Francisco Beltrão e Pato Branco.

No Paraná estão grandes players do mercado, todos com plantas frigoríficas com SIF, Serviço de Inspeção Federal, além de várias plantas de médio porte com SIP, Serviço de Inspeção Estadual.

Sanidade animal

Ao completar seu cinquentenário, a APS comemora também o fato de o Paraná passar a ser reconhecido internacionalmente como Zona Livre da Peste Suína Clássica e também como Área Livre de Febre Aftosa sem vacinação, duas grandes conquistas frutos de suas ações em apoio aos órgãos do estado, como a SEAB e a ADAPAR, que trabalharam no sentido de aumentar o status sanitário do estado.

Presidentes

A APS é atualmente presidida por Jacir Dariva, e ao longo da sua existência teve 14 presidentes, sendo eles: Joaquim Felipe Laginski, Oswaldo Euclydes Aranha, Inivaldo Martini, Lauro Teixeira de Freitas, Sydnei Augusto Teixeira, João Luiz Seimetz, Cândido Scholl, Henrique Pedro Nesello, Sessuaf Mecissuaf Polanski, Romeu Carlos Royer, Irineu Wessler, Carlos Guesdorf e Darci Backes.

Fechar