Artagão apoia aliança com PSDB 0 1

Artagão apoia aliança com PSDB

O deputado Artagão Junior (PMDB) adiantou nesta manhã de sábado (14) que vai votar pela coligação com o PSDB do governador Beto Richa na convenção estadual do partido na próxima sexta-feira, 20, no Clube Urca. No PMDB, já são 11 deputados estaduais pró-aliança com Beto Richa: Ademir Bier, Alexandre Curi, Artagão Junior, Caíto Quintana, Jonas Guimarães, Luiz Claudio Romanelli, Luiz Eduardo Cheida, Nereu Moura, Stephanes Junior, Teruo Kato e Waldyr Pugliesi.

Previous ArticleNext Article
Política, economia, cultura e bom humor no blog do Paraná.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram e Facebook vão inserir rótulos em postagens sobre eleições 0 1

O Facebook anunciou nesta terça-feira (26) que, a partir das próximas semanas, vai inserir rótulos em postagens sobre eleições com redirecionamento de usuários para a página da Justiça Eleitoral na internet. A medida também valerá para o Instagram, rede social que pertence ao conglomerado controlado pelo Facebook. A novidade faz parte de um trabalho conjunto com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para combater desinformação e ameaças à integridade do processo eleitoral.     

“A integridade das eleições é uma prioridade para nós e temos trabalhado nos últimos anos com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no Brasil para proteger o processo democrático, identificando e agindo contra ameaças e ajudando as pessoas a terem acesso a informações confiáveis sobre a votação. Como parte do nosso trabalho com o TSE para a eleição presidencial de 2022, iremos direcionar as pessoas usando o Facebook e o Instagram no Brasil para informações oficiais sobre o sistema de votação e artigos rebatendo desinformação sobre o processo eleitoral”, diz o comunicado.

Segundo a plataforma, nas próximas semanas, usuários no Brasil começarão a ver um rótulo em postagens nas plataformas que tratam de eleições e serão direcionados a uma página do site da Justiça Eleitoral.

De acordo com a empresa, desde 2016 o número de funcionários que atuam na área de segurança e integridade das plataformas foi quadruplicado, passando para mais de 40 mil pessoas. As redes sociais atuaram no ano passado, durante as eleições municipais, estabelecendo regras de transparência da publicidade de candidatos.

“Removemos mais de 140 mil peças de conteúdo do Facebook e do Instagram no Brasil pela violação de nossas políticas de interferência na votação antes do primeiro turno da eleição e cerca de 3 milhões de pessoas com mais de 16 anos elegíveis ao voto no país clicaram para ver mais informações sobre a eleição nos dias que antecederam a votação. Em 2018, lançamos no Brasil nossas ferramentas de transparência para propaganda política e eleitoral e, desde 2020, qualquer pessoa ou organização precisa passar por um processo de autorização confirmando identidade e endereço no país para veicular anúncios sobre esses temas. Desde então, anúncios sobre política ou eleições ficam armazenados publicamente na nossa Biblioteca de Anúncios por um período de sete anos”, informou o comunicado.

Ainda segundo o comunicado, durante a campanha eleitoral de 2020 foram rejeitados cerca de 250 mil anúncios sobre política ou eleições que não continham o rótulo “Propaganda Eleitoral” ou “Pago por” direcionados a pessoas no Brasil, os chamados conteúdos impulsionados.

O comunicado informa ainda que o WhatsApp, outra plataforma pertencente ao Facebook, já havia lançado, no ano passado, em parceria com o TSE, um chatbot (conta automatizada) para ajudar na circulação de dados oficiais sobre o processo eleitoral e a votação. Além disso, o aplicativo de mensagens disponibilizou um canal de comunicação específico com o TSE para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa, o que não é permitido nos Termos de Serviço do aplicativo e nem pela legislação eleitoral.

Podemos já se prepara para filiar Moro em novembro 0 1

O Antagonista apurou que lideranças do Podemos começaram a preparar o evento de filiação de Sergio Moro ao partido em novembro.

O ato de filiação, que ocorreria em Brasília, já teria até data, mas a cúpula do partido evita divulgá-la antes de acertar todos os detalhes.

Segundo fontes do partido ouvidas por O Antagonista, o ex-juiz da Lava Jato decidiu que topará, sim, colocar o seu nome à disposição do partido para a disputa presidencial de 2022.

Ainda de acordo com essas fontes do partido, Moro descartou as alternativas que foram apresentadas a ele, como uma possível candidatura ao Senado pelo Paraná. No domingo, publicamos uma entrevista com Alvaro Dias, na qual o líder do Podemos afirmou que abriu mão de uma nova pré-candidatura ao Planalto para “facilitar a decisão” de Moro.

 

Leia mais em O Antagonista

Most Popular Topics

Editor Picks

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com