Escrito por 11:10 Brasil, Cultura e Música, Esporte, Foz do Iguaçu, Oeste, Turismo

Agricultores recebem visitantes em circuitos rurais no oeste do Paraná

Passeios de jipe, cavalgadas, degustações e culinária colonial são opções. Região foi colonizada por imigrantes alemães e italianos do Sul do país

do G1 PR

sabia5

Nas propriedades rurais do Circuito Sabiá, em Matelândia, visitantes têm contato com a natureza e os costumes das famílias da região (Foto: Fabiula Wurmeister/G1)

Colonizado por imigrantes alemães e italianos inicialmente instalados no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, o oeste do Paraná ainda guarda muito da tradição dos primeiros trabalhadores rurais que chegaram à região. Quem já ‘viveu na roça’, como dizem, ou mesmo quem deseja ter uma experiência diferente, tem em algumas opções de passeio a chance de conviver um pouco com alguns costumes e benefícios da vida no campo. Veja a galeria de fotos.

Propriedades rurais de Matelândia, a 80 km de Foz do Iguaçu, por exemplo, dispõem de roteiros turísticos que incluem pousadas, banhos de cachoeira, passeios de jipe e cavalgadas, tudo regado à culinária colonial, com a maioria dos ingredientes produzidos no próprio quintal. O diferencial fica por conta do contato com a natureza, do sossego e da hospitalidade das tradicionais famílias de agricultores locais.

Para quem está na fronteira, a viagem é de cerca de uma hora de carro pela BR-277 até a primeira propriedade do Circuito Sabiá, a da família Bozio, que disponibiliza alguns quartos para quem preferir passar mais de um dia na região. A diária é de R$ 170 para 15 pessoas. Um dos proprietários faz as vezes de guia passando pelo pomar e seguindo até uma das várias cachoeiras que enfeitam a região. Antigos produtores de leite, os Bozio investem no turismo rural desde 2007, sem deixar de lado a agricultura familiar.

Na volta, uma aula de artesanato com sementes envolve os visitantes. Em seguida, um passeio de trator pelas estradinhas da comunidade leva até outra convidativa queda d’água. O almoço servido no porão da casa da família Grassi, outra propriedade do circuito, reforça a receptividade local. Os pratos variados da generosa culinária italiana, regados a vinho colonial e sucos naturais, enchem os olhos e aguçam o apetite.

Outra opção é a cachoeira do Tio João, a mais famosa do Rio São Francisco, com espaço para camping sob as árvores e quiosques com churrasqueiras.

Aventura
Do outro lado da BR-277, a alternativa é o Vale d’Aventura. O passeio de jipe presenteia com uma bela vista dos morros no entorno da cidade, principalmente no pôr-do-sol, e de parte do Parque Nacional do Iguaçu. Para quem preferir, a trilha pode chegar até às margens da reserva. No retorno da aventura, um café rural generoso ajuda a repor as energias. As saídas sob a lua cheia são outra opção.

O atrativo atende por agendamento. É possível tanto fazer somente as trilhas, como passar alguns dias ou mesmo alugar o espaço que dispõe de dois quartos, com capacidade para 12 pessoas no total. A locação custa R$ 100 por um dia ou R$ 120 por fim de semana. A diária sai por R$ 35 por pessoa e os passeios de uma hora ou três horas variam de R$ 35 a R$ 50.

Morangos e vinhos
Localizada em uma das extremidades da antiga Estrada do Colono, que cortava o Parque Nacional do Iguaçu, ligando as regiões oeste e sudoeste paranaense, Serranópolis do Iguaçu, a 70 km de Foz do Iguaçu, também tem apostado no turismo rural como opção de geração de renda no município. Em 2014, foram contabilizados 15 mil visitantes.

O Circuito Turístico Caminhos do Colono, aberto em 2013, é formado por sete propriedades rurais que podem ser visitadas separadamente ou por meio de três roteiros sugeridos pelo departamento de turismo do município. Cada um dura cerca de um dia e os preços variam de R$ 60 a R$ 65 por pessoa. Os grupos devem ser formados por no mínimo 15 pessoas e estar com veículos próprios. Quem preferir também pode se hospedar em chalés e apartamentos em uma das propriedades.

Tudo começa com um café da manhã em uma das agroindústrias da cidade. Ao longo do trajeto, os guias falam sobre a região. Paradas estratégicas convidam à colheita de morangos e à degustação de vinhos com opções de almoços caseiro, italiano ou a base de peixes. À tarde, a visita é a um pesque-pague, à entrada da antiga estrada que serviu de acesso aos colonizadores e ao portal do município, próximo de onde é realizado o Arrancadão de Jericos, veículos adaptados para o uso no campo.

Mais informações podem ser obtidas pela internet e o agendamento feito diretamente na prefeitura de Serranópolis do Iguaçu pelo telefone (45) 3236-1122.

(Visited 4 times, 1 visits today)
Close