0 Shares 79 Views

“Farmácia pública em Curitiba é modelo e deve ser estendidas para mais cidades do Paraná”

13 de setembro de 2018
79 Views

O ex-secretário estadual de Saúde, Michele Caputo, disse nesta quarta-feira, 12, que a unidade da Farmácia do Paraná em Curitiba é modelo para país e deve ser estendida na maioria das cidades do Estado. “O Estado mantém em Curitiba uma das maiores farmácias públicas do país, um modelo que deve ser levado às outras cidades do Paraná. Esse é um dos projetos que pretende levar na Assembleia Legislativa e transformá-lo em política de Estado”, disse Michele Caputo, candidato a deputado estadual, número 45000 na urna eletrônica.

Curitiba tem ainda o serviço “Entrega em Casa” que já atende 1.125 pacientes que recebem no domicílio remédios para tratamento contínuo como de colesterol, osteoporose, artrite, entre outras doenças. Para fazer parte do serviço, é necessário ter cadastro ativo no programa, ter 60 anos ou mais, obter autorização formal para a entrega e ser morador de Curitiba. O endereço da residência e os documentos do paciente devem ser atualizados a cada três meses.

Segundo Michele Caputo, a Farmácia do Paraná em Curitiba atende 29.462 pessoas. “São fornecidos gratuitamente 232 tipos de medicamentos para tratamento de pelo menos 80 doenças. Em 2017, a unidade alcançou a marca de 200 mil atendimentos”, disse.

Consultórios – Nesta unidade, o Estado investiu R$ 4,6 milhões na reforma da farmácia, entregue ainda em 2015. São 24 guichês para o atendimento de 1300 a 1600 pacientes diariamente. A unidade conta ainda com os serviços de consultórios farmacêuticos. São três salas para atender os usuários e repassar orientações quanto à administração do medicamento, possíveis reações adversas e interações medicamentosas, que podem prejudicar o tratamento.

Além dos consultórios, a farmácia tem duas salas para atendimento pelo serviço social. O objetivo é esclarecer dúvidas, dar apoio e facilitar o acesso da população aos medicamentos.

Unidades no Paraná – Michele Caputo revela ainda que no Estado foram reestruturadas outras 14 unidades. O programa também destina recursos para que as prefeituras fortaleçam a assistência farmacêutica municipal. “Em sete anos, o Estado investiu R$ 5 milhões na reestruturação das unidades e outros R$ 22 milhões em apoio à assistência farmacêutica nos municípios”.

Segundo ainda Michele Caputo, para o Consórcio Paraná Saúde, que reúne 397 prefeituras, o Estado repassou desde 2011 mais de R$ 200 milhões para compra de medicamentos.

Mais notícias para você:



Leave a Comment

Your email address will not be published.