0 Shares 243 Views

Paraná amplia recursos para os serviços estaduais de saúde

12 de janeiro de 2018
243 Views
Paraná - Repasses Saúde

Em 2017, o Paraná investiu R$ 3,7 bilhões do tesouro estadual em saúde, 15,6% a mais do orçamento da Secretaria da Saúde e equivale a 12,07% das receitas do Estado – percentual acima do exigido por lei, que é de 12%. Desde 2011, já são R$ 19 bilhões para estruturar e modernizar os serviços estaduais de saúde. “Com investimentos fortes estamos conseguindo levar serviços de qualidade mais próximos das pessoas, nas cidades onde vivem”, afirma o governador Beto Richa.

No ano passado, foram R$ 374 milhões a mais em saúde do que em 2016. Com 99,63% de execução orçamentária, a Secretaria da Saúde encerrou o ano com incremento de 15,6% em relação ao orçamento de 2017 de R$ 3,2 bilhões. “Em sete anos, já investimos 277% a mais do que em todo o governo anterior. Se acrescentarmos o orçamento inicial previsto que este ano, atingiremos mais de R$ 22,2 bilhões na área ao final desta gestão”, disse o secretário Michele Caputo Neto que aponta o orçamento de R$ 3,4 bilhões para 2018 e ressalta que esse valor deve ser ampliado, assim como tem se verificado ano a ano.

Em 2017, a Secretaria de Saúde manteve programas estratégicos e o apoio às prefeituras, consórcios, hospitais e entidades da sociedade civil que ampliaram o acesso aos serviços públicos de qualidade. Na ponta do sistema, a atenção primária, porta de entrada do cidadão ao SUS, foram destinados desde 2011 mais de R$ 1 bilhão para que os municípios qualifiquem o atendimento. O Estado destinou recursos para obras em unidades básicas de saúde, aquisição de equipamentos e mobiliários, veículos para o transporte de pacientes e de equipes, além da capacitação dos profissionais que atuam na área.

Hospitais – O apoio aos hospitais públicos e filantrópicos também foi decisivo na ampliação do atendimento em todas as regiões do Paraná. Com o repasse de recursos para custeio, investimentos e capacitação profissional, os 263 hospitais vinculados ao programa Hospsus ampliaram a oferta de leitos de UTI que cresceu mais de 60% – passou de 1176 leitos (disponíveis em 2010) para 1892 leitos em 2017.

O transporte aeromédico é outro diferencial da atual gestão. Com a instalação de bases em Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel, a Secretaria da Saúde passou a contar com avião e helicópteros exclusivos para o transporte de pacientes em situação crítica. Os aviões do governo também transportam órgãos para transplantes. Desde 2011, mais de 9 mil pacientes foram atendidos pelo serviço.

Houve avanços também na área da vigilância. Com a criação de um programa pioneiro no País, o Vigiasus, o Governo destinou recursos para que os 399 municípios pudessem aplicar na área de controle de doenças, vigilância sanitária, saúde do trabalhador e promoção da saúde, por exemplo.

O Paraná é um dos únicos estados a destinar recursos do tesouro estadual para a área de vigilância e em muitas cidades os valores repassados são maiores do que o enviado pelo governo federal.

Mais notícias para você:



Leave a Comment

Your email address will not be published.