0 Shares 3907 Views

Extrema direita das Américas testa popularidade em cúpula de Foz

7 de dezembro de 2018
3907 Views

Lideranças alinhadas ao pensamento conservador garantiram vitória nos EUA, Brasil, Argentina, Perú e Chile

A Cúpula Conservadora das Américas no próximo sábado (8) em Foz do Iguaçu servirá como termômetro para medir a popularidade da extrema-direita nos continentes americanos. O evento, das 13h30 as 20h30 no Centro de Convenções do Hotel Recanto das Cataratas, terá presença de intelectuais e lideranças conservadoras da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Estados Unidos (EUA), Hungria, Paraguai e Venezuela. O escritor e jornalista Olavo de Carvalho, guru do presidente eleito Jair Bolsonaro, fará uma participação por vídeo conferência.

Nos últimos anos, a extrema-direita avançou nas américas do Norte, Central e do Sul, com a eleição de representantes em países importantes. Nos Estados Unidos, o conservador liberal Donald Trumph venceu uma eleição acirrada contra a ex-primeira-dama Hilary Clinton, que representava as forças mais à esquerda. A Argentina elegeu o empresário Mauricio Macri, ligado ao conservadorismo. As informações são de Ronildo Pimentel, no Gazeta Diário.

No Peru, Martín Vizcarra era vice-presidente e chegou ao poder após a renúncia do ex-banqueiro Pedro Pablo Kuczynski, que se elegeu puxado pela onda conservadora, assim como no Chile, o empresário e economista Sebastián Piñera, membro do partido centro-direita Renovación Nacional. A Colômbia, que é presidida por Iván Duque, recebeu esta semana o deputado federal Eduardo Bolsonaro, um dos organizadores do encontro em Foz do Iguaçu.

O filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, foi convidado para uma palestra na Fundação Mariano Ospina Peres, referência conservadora no país. Eduardo também se reuniu com diversas lideranças alinhadas à direita. “Colômbia e Brasil tem potenciais similares tais como biodeversidade, grande mercado consumidor, larga mão de obra e capacidades turísticas imensas”, afirmou o deputado brasileiro.

No entanto, segundo ele, os problemas são similares. “(…) luta contra o narcotráfico, esquerda tentando reescrever a história e botar heróis militares que cumpriram sua missão na cadeia, a necessidade de aprovar reformas nem sempre populares mas que melhorariam a economia e um novo presidente que carrega a esperança do povo para melhorar essa situação. Acredito que Colômbia e Brasil podem se tornar potências da região”, completou Eduardo.

Antes de retornar ao Brasil, Eduardo Bolsonaro foi recebido pelo presidente Iván Duque (foto) e o convidou para participar do evento na Tríplice Fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. “Sendo recebido pelo Presidente da Colômbia Iván Duque com quem tive uma amistosa conversa e pude expressar minha visão sobre problemas na América Latina em que Brasil e Colômbia poderiam atuar em cooperação”, disse em uma rede social.

Panorama
A Cúpula Conservadora das Américas, que seria realizada em julho mas precisou ser adiada devido ao período eleitoral, é uma realização da Fundação Índigo, ligada ao PSL de Bolsonaro. Além de Eduardo Bolsonaro, a organização conta com o delegado Fernando Francischini e Gustavo Swain Kfouri. A participação é gratuita mediante inscrição antecipada no site do evento (www.cupulaconservadora.com.br). A expectativa é reunir de 2,5 mil à 3 mil pessoas.

“Um novo rumo no mundo” é um dos lemas do encontro, criado para ser um contraponto ao Foro de São Paulo, conferência que reuniu de 15 a 16 de julho, em Cuba, representantes de partidos da esquerda latino-americana. “É com satisfação que convidamos você a comparecer no evento Cúpula Conservadora das Américas”, reforçam os organizadores.

“(…) vamos reunir importantes líderes e economistas liberais da América Latina para debater os problemas atuais que ocorrem em nosso país e no mundo”. Durante todo o dia serão realizados quatro mesas-redondas abordando Cultura, Política, Economia e Segurança.

Presenças
O escritor e jornalista Olavo de Carvalho fará uma participação especial através de vídeo conferência. Já estão confirmadas as presenças de Eduardo Bolsonaro, Luiz Philippe de Orleans e Bragança, Fernando Francischini, Orlando Gutierrez, Roderick Navarro, Carlos Gomes, Francisco Javier, Abraham Bragança, Allan dos Santos, Miguel Martín, José Antonio Kast, María Fernanda Molina, Fidel Zavala e o Major-General Jorge Cuellar.

“Nunca precisamos de tantas mudanças na política e na sociedade. E essas transformações devem ser discutidas pelas pessoas que estão buscando desde já o melhor para a nação”, destaca a convocatória no site do evento (www.cupulaconservadora.com.br).

link da matéria

Mais notícias para você:



Leave a Comment

Your email address will not be published.