0 Shares 454 Views

Precisamos manter o apoio do Estado aos hospitais de Curitiba, diz Michele Caputo

10 de setembro de 2018
454 Views

O ex-secretário estadual de Saúde, Michele Caputo, defendeu nesta segunda-feira, 10, a ampliação do apoio do Estado à retaguarda de urgência e emergência em Curitiba. “Precisamos ampliar e até aumentar os incentivos aos hospitais de referência, através do programa HospSUS (de apoio aos hospitais públicos e filantrópicos)”, disse Michele Caputo, candidato a deputado estadual pelo PSDB e número 45000 na urna eletrônica.

Michele Caputo disse ainda que o apoio deve ser garantido, o que atualmente é feito, através de repasse de recursos para o custeio do Samu e Siate, “sem contar o apoio destinado à manutenção do serviço de transporte aeromédico, com um avião UTI e um helicóptero de resgate à disposição”.

Nos últimos anos, o Estado foi responsável também pela renovação da frota do Siate, além de auxiliar na reposição de ambulâncias do Samu. “Tudo isso tem impacto direto na agilidade e eficiência do atendimento à população. Em situações de urgência e emergência, cada minuto é importante e pode ser decisivo para salvar uma vida”, diz Michele Caputo.

O Estado e a prefeitura de Curitiba inauguraram ainda dois novos helipontos para ampliar as opções de pouso do helicóptero de resgate em Curitiba. Além do Hospital do Trabalhador, que já detinha a estrutura, agora o Hospital Cajuru e a UPA do Tatuquara também mantêm helipontos em operação 24 horas por dia.

Anexo da Mulher – Segundo ainda Michele Caputo, duas novas obras financiadas pelo Estado devem trazer ganhos importantes a todo o sistema de saúde. Uma delas é a construção do “Anexo da Mulher” do Hospital do Trabalhador, no bairro Novo Mundo. “Esta é a maior obra de ampliação de toda a história do nosso hospital. São R$ 13,3 milhões que permitirá ao hospital ampliar sua capacidade de 222 para 302 leitos”, disse.

Com mais de 4 mil metros quadrados, o anexo vai abrigar os serviços da maternidade; atendimento de ginecologia e obstetrícia; UTIs, leitos de internação e uma série de outros setores voltados exclusivamente ao atendimento feminino e materno-infantil. “É a maior expansão física do hospital e vai oferecer assistência qualificada a gestantes e bebês, além de possibilitar a ampliação de serviços de urgência e emergência no hospital”, afirma Michele Caputo.

A outra obra é do “Erastinho”, a unidade infantil do Hospital Erasto Gaertner, especializado em oncologia. Em 2018, Michele Caputo assinou o convênio garantindo R$ 12 milhões para a construção do prédio, que vai melhorar as condições de tratamento do câncer em crianças.

A expectativa é ampliar de 20 para 39 o número de leitos infantojuvenis, permitindo o atendimento de 300 novos casos por ano. Poderão ser feitas, no local, até 17 mil consultas, 500 cirurgias e mais de 85 mil procedimentos anualmente.

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.