0 Shares 353 Views

Curitiba paga 91% da dívida da Saúde, diz Marcia Huçulak

26 de fevereiro de 2018
353 Views
Curitiba paga 91% da dívida da Saúde, diz Marcia Huçulak

A secretária municipal da Saúde, Marcia Huçulak, destacou nesta segunda-feira, 26, na Câmara de Vereadores, que o município pagou, até o momento, 91% das dívidas da área da saúde em Curitiba.

“Temos ainda algumas dívidas com alguns fornecedores que, conforme foi aprovado no pacote de ajuste fiscal, ultrapassam R$ 300 mil e que estão em negociação por Finanças”, destacou.

Em fevereiro de 2017, a dívida acumulada em gestões anteriores chegava a R$ 233 milhões. “Mas não chegam hoje a R$ 20 milhões. E para quem pegou um quantitativo enorme em 2017, 2018 será tranquilo”, disse Marcia, ao responder questionamento da vereadora Maria Leticia Fagundes (PV).

No montante total da dívida, o valor englobava R$ 42 milhões de restos a pagar; R$ 74 milhões sem empenho e R$ 112 milhões de processos internos “que nem chegaram ao nosso núcleo financeiro”. Em relação aos R$ 20 milhões indicados por Marcia, o município já quitou 91% do débito acumulado.

UPA CIC – Sobre a reabertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) CIC, com novo modelo de prestação de serviço, a secretária da Saúde, Marcia Huçulak apontou que o processo está na fase de qualificação das organizações sociais (OS). “Tivemos nove entidades que apresentaram documentação. Estamos colocando um cronograma para maio”, disse. “Se não fosse a liminar”, acrescentou, “a UPA já estava entregue à comunidade”.

Comunidade terapêutica – Marcia Huçulak também falou sobre a integração das comunidades terapêuticas nos programas da Prefeitura de Curitiba e os estudos no Ministério da Saúde ante a reformulação da saúde mental. “É muito provável que as comunidades terapêuticas venham ao bojo da saúde. Vamos aguardar a definição e trabalhar a melhor forma integrada em relação a isso”, indicou.

Agentes e orçamento histórico – A secretária da Saúde também destacou a contratação dos agentes comunitários de saúde (ACS), que atuavam por meio de convênio com o Instituto Pró-Cidadania (IPCC). Também ressaltou o modelo adotado pelo município para aplicação de recursos no setor. “De longe, a maior parte dos recursos são investidos na rede própria, e não na conveniada, com destaque à folha de pagamento”, disse.

“Executamos o maior orçamento da história da Secretaria de Saúde, de R$ 1,751 bilhão empenhado. Nominalmente e percentualmente foi maior valor”, destacou ainda Marcia Huçulak.

Gestão eficiente – Líder do prefeito na Câmara Municipal, Pier Petruzziello (PTB) avaliou que a saúde pública “não é apenas questão financeira, mas uma questão de gestão”. A pedido do vereador, Marcia Huçulak respondeu que o grande desafio da saúde pública municipal é “uma mudança de modelo”. Ela citou como demandas o envelhecimento da população e o aumento da violência, mais o crescimento dos usuários de classe média, que perderam seus planos privados. “Nosso papel é cuidar das pessoas”, disse a secretária.

Mais notícias para você:



Leave a Comment

Your email address will not be published.