0 Shares 488 Views

Blogueiro mela operação do Gaeco no Paraná e Santa Catarina

24 de janeiro de 2018
488 Views
Blogueiro mela operação do Gaeco no Paraná e Santa Catarina

As investigações do Gaeco de Santa Catarina em Porto União (SC) e União da Vitória (PR) estão comprometidas após o vazamento das informações por um blogueiro nas redes sociais. O próprio Ministério Público admitiu que a apuração de supostos delitos não deve se sustentar na Justiça após a antecipação de detalhes da operação pelo blogueiro.

“Há grande urgência no deferimento do pedido, vez que o comportamento de Emerson Lourenço Litwinski acabou por gerar um risco às investigações, com efetiva possibilidade de destruição de provas necessárias à comprovação da autoria e materialidade dos delitos apurados pelo Ministério Público”, adianta o MP na ação apresentada à Justiça

A operação do Gaeco deflagrada nesta segunda-feira, 22, terminou em pizza após uma operação de quase seis meses realizada em Porto União e União da Vitória que investigou a empresa Ecovale por suposta adulteração na pesagem de lixo transportado aos aterros sanitários dos dois municípios.

O MP admite ainda a responsabilidade por passar as informações ao blogueiro e tenta consertar a situação na ação proposta na Justiça. “Na noite de domingo (21), Emerson Lourenço, que nas redes sociais se apresenta como “Emerson FX”, insatisfeito com a falta de informações sobre o andamento das investigações sigilosa, muito embora tenha se comprometido perante o Ministérios Público em não revelar os fatos, acabou por se utilizar da rede social para anunciar os fatos de que tinha conhecimento, quadro que, evidentemente, gera sério risco de que os investigados venham a destruir os documentos, eliminem conversas eletrônicas e deletem arquivos indispensáveis para a prova dos crimes”.

O compadrio entre os membros do MP e o blogueiro, além de comprometer toda a operação do Gaeco, coloca em suspeição a coleta das provas na investigação e aponta para um questionamento: quais interesses que estão por trás da ação intempestiva do informante do Ministério Público?

A trapalhada toda, se que é se pode aduzir desta forma, já era prevista e até antecipada. Dias antes, o blogueiro postou videos na internet dizendo que o MP não trabalhava e era incompetente, mas após a deflagração da ação, o mesmo postou vídeos nas redes sociais afirmando que o Gaeco estava na cidade por sua causa.

Será que não estava mesmo? Quais as ligações do Gaeco e de membros do MP com referido blogueiro já que se sabe em União da Vitória que o mesmo está desempregado há algum tempo? O que se sabe é que ele foi candidato a vereador pelo PV em 2012, fez 35 votos, e está sendo processado pelo crime de peculato e roubo de medicamento no pequeno período que trabalhou na prefeitura. Também se comenta na cidade que o trapalhão vive às custas da mulher, mas este é assunto pessoal que não deve levar em conta. O que se questiona são as relações espúrias do blogueiro com os membros do MP.

Mais notícias para você:



Leave a Comment

Your email address will not be published.