0 Shares 145 Views

Dilma chama Renan Calheiros para evitar derrota de Fachin no Senado

12 de maio de 2015
145 Views

fachin

Preocupada com uma possível derrota do governo na aprovação do nome do jurista Luiz Edson Fachin para o STF (Supremo Tribunal Federal), a presidente Dilma Rousseff chamou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para fazer com ela uma viagem a Santa Catarina, nesta segunda-feira (11), e discutir a indicação. As informações são da Folha de S. Paulo.

Dilma e Renan viajaram juntos no avião presidencial a Joinville, onde participam do velório do senador Luiz Henrique (PMDB-SC), morto no domingo (10). Eles saíram de Brasília às 13h35 e já chegaram no destino.

Segundo a Folha apurou, a presidente queria falar pessoalmente com Renan sobre Fachin e garantir que o presidente do Senado não só não agirá contra a indicação como também ajudará na aprovação do nome do jurista. Outros senadores também estavam no avião a convite da presidente.

Fachin será submetido a sabatina nesta terça-feira (12) pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Caso seu nome seja aprovado pelo grupo, assume a vaga deixada pelo ex-ministro Joaquim Barbosa, que se aposentou no ano passado.

O nome do professor de direito tem encontrado resistências no Congresso e a presidente já manifestou a ministros sua preocupação de ver barrada a indicação.

Na semana passada, por exemplo, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-AL) divulgou parecer encomendado à consultoria legislativa do Senado que dizia que a atuação de Fachin como advogado e procurador no Paraná, entre 1990 e 2006, foi ilegal. Calheiros, por sua vez, emitiu nota para dizer que o laudo da consultoria não representava a posição do Senado.

Dilma chegou a pedir que ministros reagissem aos ataques nas redes sociais, mas foi alertada que uma reação “oficial” não seria de bom tom.

Fachin então se mobilizou para tentar diminuir a rejeição a seu nome. Emvídeos postados na internet, negou ter posições contrárias à família e se defendeu da acusação de que seria ilegal ter atuado como procurador e advogado durante o mesmo período no Paraná.

BOM SENSO

Mais cedo, em entrevista no Palácio do Planalto, o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, disse que o governo confia “no bom senso” do Senado para aprovar a indicação de Fachin ao STF.

“Estamos falando de um jurista respeitado e reconhecido. Agora cabe ao Senado fazer a sabatina e fazer a apreciação do nome. O governo tem confiança no Senado, no bom senso do Senado e tem confiança no currículo de um jurista que é um dos maiores hoje no nosso país”, afirmou.

Mais notícias para você:



Leave a Comment

Your email address will not be published.