Tag: candidatos (page 1 of 5)

FHC diz que PSDB não é partido de ‘caudilhos’ e tem vários candidatos à sua presidência

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta segunda-feira, 13, que o PSDB não é um partido de “caudilhos” e tem vários candidatos à sua presidência, entre os quais mencionou o senador Tasso Jereissati. “Não tem uma pessoa que impõe sua vontade”, afirmou. As informações são de Claudia Trevisan no Estadão

FHC não quis comentar a saída do governo Michel Temer do tucano Bruno Araújo, que até era ministro das Cidades e pediu demissão nesta segunda-feira. “Que ministro saiu? Vocês estão me falando agora”, disse a jornalistas brasileiros em Washington, onde foi homenageado pelo Inter-American Dialogue.

Em entrevista à TV colombiana NTN24, parceira do evento, o ex-presidente disse que o PSDB terá “mais autonomia” fora da gestão Temer. “Não ter ministro não quer dizer que não votaremos com os projetos importantes para o Brasil.”

Fake news e as eleições

Não são banais os riscos que as notícias falsas representam para a democracia

Editorial, Estadão

A ação insidiosa dos que criam e propagam fake news na internet e lançam mão de contas automatizadas nas redes sociais – os chamados robôs – para inflar artificialmente a representatividade de candidatos e ideias que, originalmente, não as têm, representa uma séria ameaça de desvirtuamento do debate público durante a campanha eleitoral do ano que vem.

Para tentar conter os evidentes danos à democracia que a propagação de notícias falsas pode causar, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou a criação de uma força-tarefa que contará ainda com representantes do Ministério da Defesa e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Esta poderá ser apenas uma tentativa, porque o crescente aumento do número de brasileiros com acesso à internet e o já tenso ambiente político do País, sobretudo após a polarização alimentada pelos governos lulopetistas, que cindiu a população entre “nós” e “eles”, tornam virtualmente impossível a tarefa de coibir com máxima segurança a propagação de notícias falsas que visam a enfraquecer adversários políticos que, na democracia, devem ser enfrentados civilizadamente no campo das ideias. E ideias baseadas em verdades, ainda que divergentes. Continue lendo

Moro avalia três anos de Lava Jato


O juiz federal Sérgio Moro disse que as pesquisas perdem tempo quando colocam seu nome na lista de opções de possíveis candidatos à sucessão presidencial. “Eu não serei candidato. Existem outras maneiras de ajudar o país… o caminho que eu escolhi foi a magistratura.” A afirmação foi feita em entrevista concedida ao jornalista Gerson Camarotti, comentarista político da “GloboNews”, exibida na noite desta terça-feira 17 no canal pago. Na entrevista, gravada em Curitiba, Moro fez uma análise dos 3 anos e meio da Lava Jato e falou também sobre o futuro da operação, a reação da classe política e o combate à corrupção no Brasil. As informações são de Veja.

Na entrevista, Moro avaliou como positivo o balanço dos três anos da Operação Lava Jato. “Considerando os casos já julgados, hoje nós temos várias condenações. Várias pessoas que estão cumprindo pena de prisão e pessoas que nós nem imaginávamos que poderiam responder pelos seus crimes. Então balanço é positivo”, afirmou.

Questionado sobre a permissividade do brasileiro em relação à corrupção, Moro afirmou que não existe governo competente e desonesto. “Acredito que esse trabalho que vem sendo realizado… vai levar ao crescimento dessa percepção de que a corrupção nos deixa pra trás, atrasa o nosso desenvolvimento, compromete as nossas instituições… Nós temos direito a ter um governo honesto.” Continue lendo

A corrida para 2018

Sem Lula no páreo, a disputa pela Presidência está em aberto, segundo levantamento do instituto Paraná Pesquisas. O melhor candidato do PSDB é Doria, que ganha de Alckmin em todos os quesitos, tanto por representar o “novo”, quanto por não ter o nome citado na Lava Jato

Germano Oliveira, IstoÉ

A um ano da eleição, ao menos dez pré-candidatos já se insinuam à disputa pela cadeira de presidente do Brasil. Se Lula estiver fora do jogo, caso venha a ser condenado em segunda instância, o que o tornaria um ficha-suja, seis deles ficarão embolados nas primeiras colocações – todos com chances reais de vitória. Essa é a principal conclusão do levantamento realizado pelo instituto Paraná Pesquisas, feito com exclusividade a pedido de ISTOÉ. A pesquisa também consolida a candidatura do deputado Jair Bolsonaro (PSC) e atesta a vantagem do prefeito de São Paulo, João Doria, sobre o governador Geraldo Alckmin, ambos aspirantes a candidatos ao Planalto pelo PSDB. Em todos os quesitos em que são confrontados, o prefeito toma a dianteira sobre o concorrente.

No cenário em que Doria é o candidato tucano, o deputado Jair Bolsonaro (PSC) figura em primeiro com 19,6% e Marina Silva (Rede) em segundo, com 15,4%. Em seguida, aparece o prefeito de São Paulo com 13,5%, neste caso, em situação de empate técnico com a candidata da Rede, já que a margem de erro da pesquisa é de 2%. Em quarto, vem Joaquim Barbosa, com 8,9%, seguido por Ciro Gomes (7,4%), Álvaro Dias (4,4%), Fernando Haddad (3,4%) e Henrique Meirelles (2,3%). Nessa sondagem estimulada, 21,3% dos entrevistados disseram que não votariam em nenhum dos candidatos apresentados e 4% não souberam opinar. Quando o candidato do PSDB é o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, Bolsonaro permanece em primeiro, mas com desempenho ligeiramente melhor: pula de 19,6% para 20,9% das intenções de voto. Em segundo, de novo, aparece Marina com 15,3%, uma insignificante variação de 0,1% em relação ao quadro anterior, seguida por Alckmin, com 9,7% – 3,8 pontos percentuais a menos do que Doria. O quarto lugar é novamente do ex-ministro do STF e relator do mensalão Joaquim Barbosa, só que, desta vez, empatado com o candidato tucano: salta de 8,9% no cenário com Doria para 9,7% com Alckmin. Na sequência vêm Ciro Gomes (7,4%), Álvaro Dias (4,6), Fernando Haddad (4%) e Henrique Meirelles (2,2%). Nesse quadro, o número de entrevistados que dizem não votar em ninguém e que ainda não definiram o candidato sobe de 25,3% para 26,2% – o que confirma a natureza volátil do pleito. “Sem Lula na disputa, a eleição fica completamente indefinida”, afirma Murilo Hidalgo, diretor da Paraná Pesquisas. “Além disso, aumenta a chance de Bolsonaro chegar ao segundo turno e abre possibilidades para um candidato do PSDB. O levantamento também mostra que há espaço para crescimento de nomes como Joaquim Barbosa, Álvaro Dias e Henrique Meirelles. Os três juntos somam 12%. Hoje, o melhor tucano é Doria, por representar o novo e não ter contas a prestar na Lava Jato”, acrescentou. Continue lendo

O eleitor no escuro

As pesquisas se tornaram uma referência do eleitor na hora de votar, e é por isso que os políticos as temem tanto; pretendem controlá-las sob o pretexto de tornar o eleitor livre de influências que, segundo eles, podem desequilibrar a disputa.

Editorial, Estadão

Para alguns candidatos, pesquisa eleitoral só vale quando os mostra à frente. Se a sondagem lhes é desfavorável, a despeito do esforço para parecerem competitivos e até favoritos, então a explicação só pode ser uma: trata-se de “manipulação”, com o objetivo de induzir o eleitor a votar neste e a evitar aquele candidato. Por isso, não surpreende que, na comissão que discute reforma política na Câmara, tenha sido aprovado o texto-base de um projeto de lei que prevê restrições às pesquisas eleitorais. É um desejo antigo dos políticos, que só não foi adotado até agora porque eles temiam ser acusados de violar o preceito constitucional da liberdade de informação. Pelo jeito, perderam esse receio.

“Infelizmente, há muitas pesquisas que não refletem a realidade. Acho que a nova regra consegue aliar bem a liberdade de expressão, mas sem que, na véspera da eleição, uma pesquisa influencie o resultado”, afirmou o líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), resumindo, em poucas palavras, os argumentos a favor dessa evidente violação da Constituição.

Em primeiro lugar, não está em questão a qualidade das pesquisas. É evidente que, como em qualquer atividade, há pesquisas tecnicamente impecáveis, gerando dados confiáveis, e há pesquisas cuja metodologia é falha, chegando a resultados distorcidos do quadro eleitoral. Nos últimos anos, e não apenas no Brasil, os institutos de pesquisa foram questionados sobre a qualidade de seu trabalho em razão da discrepância, em alguns casos, entre seus levantamentos eleitorais e o resultado das urnas. Continue lendo

Esquenta a corrida pelo Palácio Iguaçu

Faltando mais de um ano para a votação, o cenário político paranaense vem sofrendo importantes movimentações nas últimas semanas. Sem esconder o interesse pelas vagas na disputa, Osmar Dias (PDT), Ratinho Junior (PSD) e Cida Borguetti (PP) estão percorrendo os municípios e procurando lideranças – em busca de visibilidade eleitoral e de apoio político. As informações são do Metro/Curitiba.

Hoje Ratinho Junior (PSD) deve anunciar oficialmente a sua saída do cargo de Secretária Estadual do Desenvolvimento Urbano. Sem guerra aberta, ele promove um movimento de afastamento do governo Beto Richa (PSDB), reassumindo a cadeira de deputado estadual. Ratinho foi o candidato mais votado em 2014, com 300 mil votos, e será o principal nome do PSD na Casa. Somada ao PSC, seu partido original, a bancada conta com 14 deputados.

Também velho conhecido dos paranaenses, Osmar Dias é outro nome que parece ter caminho aberto para a disputa. Na última semana ele recebeu um convite oficial para ingressar no PHS, “para que venha a ser candidato ao governo”, afirmou o deputado federal Diego Garcia, principal nome da agremiação no Paraná. Continue lendo

Odebrecht: ‘Todos candidatos tiveram financiamento ilegal’

O empresário Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo que leva seu sobrenome, disse em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no início de março, que o financiamento ilegal de campanhas é tão comum no País que inclui todos os candidatos eleitos. “Duvido que tenha um político no Brasil que tenha se eleito sem caixa 2. E, se ele diz que se elegeu sem, é mentira, porque recebeu do partido. Então, impossível”, afirmou.

As declarações constam do depoimento prestado na ação que apura abuso de poder político e econômico pela chapa Dilma Rousseff-Michel Temer nas eleições de 2014. Naquele ano, além da então presidente, 1.626 pessoas conseguiram votos para ocupar os cargos em disputa.

No caso da Odebrecht, o empreiteiro pontuou que, dos recursos disponíveis para campanhas, 75% eram pagos fora do sistema oficial. Continue lendo

Seis podem disputar prefeitura de Foz

Seis podem disputar prefeitura de Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu poderá ter seis candidatos eleição de prefeito que será no próximo dia 2 de abril: Chico Brasileiro (PSD), Phelipe Mansur (Rede), Sidnei Prestes (PRP), Nilton Bobato (PCdoB), Joel de Lima (PT) e Nanci Rafagnin Andreola (PDT). As candidaturas certas são de Brasileiro, Mansur e Prestes. Bobato e Joel de Lima podem sair em aliança, com Bobato a prefeito e Joel de Lima como vice. Já Nanci Andreola, a vereadora mais votada da eleição de outubro com 5.192 votos, está sendo instada pelo ex-senador Osmar Dias a disputar a eleição. Nanci, inclusive, já tem maioria no diretório pedetista controlado pelo ex-prefeito Paulo Mac Donald Ghisi.

Ibope registra pesquisa em Curitiba

Ibope registra pesquisa em Curitiba

O Ibope registrou nesta terça-feira, 13, mais uma rodada de pesquisa da intenção de voto a prefeito de Curitiba. Serão 805 entrevistas com a divulgação dos dados previstos para a próxima segunda-feira, 19. A RPC contratou o levantamento ao custo de R$ 55.211,013 que está está registrado no TSE sob o número PR-01610/2016.

Além da intenção de voto para prefeito, estimulada e espontânea, o Ibope vai medir o interesse do eleitor sobre as eleições de 2 de outubro, vai trazer três simulações de segundo turno, rejeição dos candidatos, as avaliações do prefeito Gustavo Fruet (PDT), do governador Beto Richa (PSDB) e do presidente Michel Temer (PMDB). E ainda sobre quem será, na opinião do eleitor, quem será o próximo prefeito da capital paranaense e os principais problemas que a cidade enfrenta.

Na pesquisa no dia 23 de agosto, o Ibope registrou a intenção de voto de cada candidato nos votos válidos quando não leva em consideração os votos nulos e os que declaram que não votam em nenhum dos candidatos. Com os votos válidos, Rafael Greca (PMN) lidera com 36%, seguido de Gustavo Fruet (PDT) com 24%, Requião Filho (PMDB) com 21%, Ney Leprevost (PSD) com 8%, Maria Victoria (PP) com 5%, Tadeu Veneri (PT) com 3%, Xênia Mello (Psol), Afonso Rangel (PRP) e Ademar Pereira (Pros) – os três últimos com 1%. Continue lendo

PP reúne pré-candidatos a vereador em São José dos Pinhais

PP vereador são jose dos pinhais parana

O PP de São José dos Pinhais reúne na noite desta terça-feira (28), os pré-candidatos a vereador que vão disputar as eleições de 2 de outubro. Os pré-candidatos terão uma palestra sobre marketing político e estratégias de campanha. O encontro será na rua Teresa Francisca Dissenha Cortes, 114, a partir das 19h30. O PP já definiu o apoio a pré-candidatura de Thiago Bührer para prefeitura de São José dos Pinhais.

Eleições 2016: ‘Prefeito tem que ser bom gestor’, afirma Ratinho Júnior

O deputado Ratinho Júnior, secretário de Desenvolvimento Urbano do Paraná e vice-presidente do PSD, adiantou neste sábado, 11, que a população procura bons gestores para administrar as cidades a partir de 2017. “Nesse momento as pessoas estão descrentes com os homens e mulheres da vida pública. O PT teve essa capacidade de desconstruir o meio político do Brasil e temos que reconquistar a credibilidade dos homens públicos com a população”, disse Ratinho Júnior no seminário do PSD realizado em Curitiba.

“De que forma vamos recuperar isso? Apresentando bons quadros para a sociedade. Porque o candidato a prefeito não basta ser popular, ele vai ter que ser popular, mas acima de tudo, vai ter que ser um bom gestor e demonstrar paras as pessoas que tem um bom plano de governo, que tem uma equipe capacitada para coordenar. É dessa forma que os candidatos vão conseguir conquistar a confiança da população”, completou Ratinho Júnior.

Sobras de 2012 na campanha de 2016

Os candidato a prefeito e vereador que registraram sobras na campanha eleitoral de 2012, poderão utilizar os recursos nas eleições deste ano. A informação é do advogado Marcos Boschirolli, especialista em direito eleitoral, ao analisar as novas regras aprovadas para o pleito de outubro próximo.

É preciso comunicar ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sobre os valores até o final deste mês. “Os recursos auferidos nos anos anteriores devem ser identificados como reserva ou saldo de caixa nas prestações de contas anuais da agremiação, que devem ser apresentadas até 30 de abril de 2016”, afirma Boschirolli.

Outra alteração que provoca profundo impacto e que representa uma mudança no quadro em relação a anos anteriores: o dinheiro para os gastos de campanha, como confecção de adesivos, santinhos, etc, não poderá vir de doações de empresas, somente de pessoas físicas. “Detalhes pertinentes, como estes, além de muitos outros, devem ser observados com atenção, para que não haja risco durante o processo”, observa.

Termina hoje o prazo de filiação para quem vai concorrer nas eleições 2016

Termina hoje filiação de candidatos

Termina às 23h59 deste sábado (02) o prazo de filiação para quem pretende concorrer às eleições municipais de 2 de outubro. O prazo de seis meses antes do pleito está previsto nas novas regras da lei eleitoral. Até o pleito passado, o prazo era de um ano. Os partidos ainda terão duas semanas para enviar a lista à justiça eleitoral.

De acordo com a chefe de cartório, Rejane Karina Toffolo, “o prazo para os partidos enviarem a lista oficial dos filiados para processamento é 14 de abril, conforme Provimento nº 06/16 da Corregedoria Geral Eleitoral”. Esta responsabilidade de envio da lista recai sobre os órgãos partidários regionais ou municipais, responsáveis pelo gerenciamento das filiações.

A lista pode ser cadastrada via internet, submetendo-a ao Tribunal Superior Eleitoral, anota A Gazeta do Iguaçu.

PV em busca de deputados

PV em busca de deputados

Severino Motta, Veja

Com a janela para troca de partidos se aproximando, diversos deputados têm recebido ligações do senador Álvaro Dias. Ele quer engrossar as fileiras do PV para as eleições municipais e de 2018.

PHS Curitiba fecha chapa de vereadores

PHS Curitiba fecha chapa de vereadores

O presidente nacional do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Eduardo Machado, anunciou nesta terça-feira (16) em Curitiba que o partido na capital já tem chapa completa de pré-candidatos a vereadores para as eleições de outubro.

“Temos uma chapa homogênea e a nossa proposta é de política com responsabilidade. Nós seremos ferramentas para que o Estado cuide da comunidade”, disse presidente do diretório municipal, Fernando Ibanez.

Eduardo Machado destacou o trabalho de Ibanez e a importância de uma chapa pura na capital paranaense. “Esse ano vai marcar a história do PHS em Curitiba”. Ele também aproveitou o momento para dar alguns conselhos para os pré-candidatos presentes na reunião. Segundo ele, a eleição para vereadores é uma das mais difíceis e o trabalho “corpo a corpo” será muito importante. “Quem tem capilaridade vai começar a se destacar muito mais”.

Older posts

© 2017 Boca Maldita

Layout por Poolbliq ComunicaçãoUp ↑