Page 2 of 3153

O preço da internet

2005-marcello-richa-CMarcello Richa

Um dos temas mais controversos dos últimos meses foi a polêmica questão da limitação de franquias de internet fixa no Brasil. Empresas de telecomunicações e até mesmo a Agência Nacional de Telecomunicações(Anatel) adotaram o discurso que a limitação seria benéfica para quem utiliza pouco a internet e acarretaria mais gasto para usuários assíduos. Porém, como definir qual o tempo e preço justo de uso da internet? As opções, até o momento, são preocupantes.

Um levantamento do IBGE mostra que o tamanho das famílias no Brasil gira em torno de três pessoas por domicílio e que o celular já se tornou a principal forma de acesso a internet. Somado a isso, também realizaram uma pesquisa que aponta que o brasileiro passa, em média, 5,3 horas no computador doméstico. Não é difícil imaginar que, com diversos aparelhos eletrônicos conectados à internet dentro de casa, e com seu uso cada vez mais comum, o limite venha a se tornar um problema até mesmo para um usuário moderado. Continue lendo

Ney Leprevost aponta o abandono dos módulos da guarda municipal

O deputado Ney Leprevost (PSD) aponta o abandono dos módulos policiais por parte da prefeitura. O deputado argumenta que os módulos servem de apoio e são fundamentais para garantir a segurança aos moradores da regiões e das praças onde estão instalados.

República de Curitiba

República de Curitiba

Fábio Campana

“Eu, sinceramente, estou assustado com a ‘República de Curitiba’”, confessou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à sua pupila e atual presidente Dilma Rousseff em áudio de gravação telefônica autorizada pela Justiça. Lula tem medo e sabe quem deve temer. A República de Curitiba é onde moram o juiz Sérgio Moro, os procuradores e a Polícia Federal, enfim, os membros da força-tarefa que realiza as investigações da Operação Lava Jato.

Tanto é o medo de Lula que ele faz de tudo, com apoio de seu partido, o PT, e do governo federal de Dilma Rousseff para escapar de provável ordem de prisão contra ele. Lula sabe que já não pode fugir da Justiça, mas ainda tem esperanças de fugir da República de Curitiba, especialmente do juiz Sérgio Moro, que perturba o seu sono. Por isso lutou para ser ministro. Quer foro privilegiado, no Supremo Tribunal Federal, longe da primeira instância, longe de Curitiba.

O raciocínio do macunaímico Lula corre sobre o fio da lógica. Com o cargo de chefe da Casa Civil, o ex-presidente não escaparia da investigação, mas os inquéritos seriam transferidos para Brasília e o julgamento de uma possível denúncia sairia das mãos do juiz Sergio Moro e iria para o Supremo Tribunal Federal. Continue lendo

Michel Temer garante que não vai interferir na Operação Lava Jato

michel-temer-vice-presidente

O vice-presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira (27) que o ministro da Justiça no cada vez mais provável governo do PMDB “não se imiscuirá” na Lava Jato ou no trabalho da Polícia Federal. Temer ainda não definiu um nome para o cargo, mas já descartou o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, seu amigo há décadas. Mariz já se manifestou contrariamente à Lava Jato. As informações são de Diego Escosteguy na Época

Disse Temer: “Não posso, não devo e não irei interferir na Lava Jato, caso venha a ser provisoriamente presidente da República. Mesmo que pudesse interferir, jamais o faria. Como constitucionalista, tenho plena ciência dos meus deveres institucionais”. O vice foi além: “Qualquer que seja o ministro da Justiça, será alguém comprometido com o bom andamento da Lava Jato e com a autonomia da Polícia Federal. Essa será a diretriz do nosso governo”.

O vice-presidente, que foi citado na proposta de delação do empreiteiro José Antunes Sobrinho, como revelou Época, se disse tranquilo quanto às investigações. Elogiou os procuradores e delegados que tocam a Lava Jato. “A Lava Jato é uma coisa muito boa para o Brasil. Já disse e repito. É preciso que as investigações prossigam com total tranquilidade”. Continue lendo

Gleisi convocou Osmar Dias para livrar Dilma do impeachment no Senado

Gleisi convocou Osmar Dias para livrar Dilma do impeachment no Senado

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) defendeu nesta quarta-feira, 17, na comissão impeachment, a convocação do vice-presidente do Banco do Brasil, Osmar Dias (PDT), com intenção de livrar a responsabilidade presidente Dilma Rousseff (PT) em uma das pedaladas fiscais. Gleisi pretendia que Osmar Dias assumisse o pagamento de R$ 3,5 bilhões de créditos do Plano Safra em 2015 – o governo atrasou os repasses e o banco pagou com recursos próprios. A oposição não concordou, afirmou que Gleisi estava tentando transferir a responsabilidade de Dilma para o Banco do Brasil e a proposta da petista foi rejeitada.

Não se sabe, no entanto, se Osmar estava ciente da convocação ou de mais uma provocação de Gleisi já que o pedetista, em voo próprio, se afastou da senadora e do petismo e pretende disputar o governo do Paraná em 2018.

‘Agenda de Dilma virou palanque no Planalto’, afirma Francischini

'Agenda de Dilma virou palanque no Planalto', afirma Francischini

O deputado Fernando Francischini (SD-PR) aprovou um pedido na Câmara dos Deputados de quando o BNDES e outros órgãos do governos estão dispendendo em patrocínios e apoios aos movimentos, marchas e eventos que na prática servem de palanque para a presidente Dilma Rousseff (PT).

A Veja apontou que desde março, ao perceber que o impeachment ganhava força no Congresso, Dilma passou a povoar o Palácio do Planalto com militantes favoráveis ao governo em eventos políticos travestidos de agenda oficial. Nas contas da revista foram sete ‘eventos-palanques’ no período. “A presidente não tem mais agenda e o Planalto se transformou em palanque que usa dinheiro público para pagar claque de militantes”, disse Francischini.

Acuada pelo avanço do processo para o Senado, depois de constatar a absoluta inexistência de apoio a seu governo na Câmara, Dilma agora volta suas baterias contra aqueles que classifica como “líderes do golpe”, o vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), este chamado nesta quarta-feira de “pecado original” do impeachment. Enquanto isso, a petista flerta com a ideia, esta sim golpista, de convocar eleições presidenciais para este ano.

Fruet trolado nas redes sociais

IMG-20160428-WA0006

 

Em MG, Pimentel nomeia esposa secretária de Trabalho Desenvolvimento Social

pimentel

Leandro Mazzini

Um dos alvos da Operação Acrônimo da Polícia Federal – já foi ouvida pela delegada em plena maternidade – a primeira-dama do Estado de Minas Gerais, Carolina Oliveira, foi nomeada hoje secretária de Trabalho e Desenvolvimento Social do Governo do Estado.

A nomeação foi feita pelo marido, o governador Fernando Pimentel – também alvo da Acrônimo e já indiciado pela PF, com aval do Superior Tribunal de Justiça.

A nomeação saiu no Diário Oficial do Estado nesta manhã. Pimentel exonerou do cargo André Quintão, ligado ao ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias. A reviravolta no primeiro escalão causa hoje rebelião velada de secretários.

Charge do dia

luscar

A charge é do Luscar na Charge Online.

Polícia vai investigar correspondência com fezes enviada a deputados

Polícia vai investigar correspondência com fezes enviada a deputados

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), anunciou nesta quarta-feira, 27, que a Casa está recolhendo, para encaminhar Polícia Civil, para providências e identificação dos autores, as correspondências com conteúdo ofensivo aos deputados, recebida em diversos gabinetes.

Segundo Traiano, a correspondência é uma “afronta a Assembleia e todas as providências estão sendo tomadas para que os responsáveis sejam identificados e respondam por seus atos”. Segundo Traiano, o conteúdo é “pífio e sua origem, certamente, está ligado a movimentos que afrontam a democracia e não respeitam a principal casa de leis do Paraná. Entendo eu que chegou a hora de darmos um basta. A questão agora se tornou um caso de polícia e a Polícia Civil certamente saberá encontrar seus autores que serão encaminhados a Justiça”.

A correspondência, que tem alusões à votação do dia 29 de abril do ano passado, quando foi votado o ajuste fiscal e ocorreu um confronto entre professores, liderados pela APP-Sindicato, que tentavam invadir a Assembleia e impedir a votação. A Polícia Militar, que guarnecia o prédio da Assembleia, impediu a invasão, seguindo determinação judicial, o que resultou em um conflito com feridos entre policiais e manifestantes.

Paraguai rechaça apoio a uso de cláusula democrática contra o Brasil

A chanceleria do Paraguai divulgou uma nota nesta quarta-feira em que reforça, na prática, a disposição de bloquear
discussões sobre o acionamento da cláusula democrática dos blocos regionais — Mercosul e Unasul — contra a destituição da presidente Dilma Rousseff.

O ministro paraguaio das Relações Exteriores, Eladio Loizaga, afirma que seu governo “acompanha a observância dos princípios democráticos” e “respeita o princípio de não intervenção nos assuntos internos de outros países”. Ele deixou claro que tratava especificamente do processo de impeachment de Dilma no Brasil.

“Esse é um tema que compete exclusivamente ao povo brasileiro. Eles têm uma democracia muito consolidada e nós não vamos opinar sobre isso”, afirmou Loizaga. Para o acionamento da cláusula e a suspensão temporária dos blocos, é preciso obter aprovação unânime dos países-membros.

Coluna Boca Maldita desta quinta, 28

parlasul

Observadores do Parlasul
A mesa diretora do Parlamento do Mercosul aprovou nesta terça-feira (26), em Montevidéu, Uruguai, a vinda ao Brasil dos vice-presidentes do colegiado, para observar o processo de impeachment da presidente Dilma em sua etapa no Senado Federal.

Observadores II
Os vice-presidentes do Parlasul são: Jorge Taina, da Argentina, presidente pro-tempore do Parlamento; Tomas Itta, do Paraguai; Daniel Caggeone, do Uruguai; Emílio Rondon, da Venezuela; Eliana Berton, da Bolívia. O vice brasileiro é o deputado Arlindo Chinaglia.

Observadores III
A situação política brasileira foi um dos assuntos da 37ª sessão plenária do Parlasul, nesses dias 25 (segunda-feira) e 26 (terça-feira), na sede do órgão, em Montevidéu. Parlamentares brasileiros e de outros países membros discursaram sobre o assunto.

Eleições presidenciais
O senador Roberto Requião (PMDB) abriu ontem (27), em discurso no Senado, as discussões sobre a antecipação das eleições presidenciais. A iniciativa, de acordo com o senador, seria decidida pelo povo através de um plebiscito. “Grande receptividade da tese da antecipação das eleições no plenário do Senado Federal. O povo decide”, ressaltou Requião em uma rede social.

Mariz desistido
O vice-presidente Michel Temer (PMDB) descartou a indicação do advogado criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira como ministro da Justiça em um eventual governo. A gota d’água foi uma entrevista dele ao jornal Folha de S. Paulo na qual reafirma as críticas que já havia feito à Operação Lava Jato.

Em Barcelona
O secretário do Planejamento, Silvio Barros, representou o Brasil em uma reunião da União Internacional de Governos Locais (UCLG – sigla em inglês), nesta segunda e terça-feira (25 e 26), em Barcelona, na Espanha. Na ocasião, foi concluído o texto sobre cidades intermediárias que deverá compor a Nova Agenda Urbana, tema da conferência da Organização das Nações Unidas (ONU), Habitat III, que será realizada em outubro na cidade de Quito, no Equador.

Péssimo gesto
Os gabinetes dos deputados da Assembleia Legislativa receberam ontem, cartas contendo fezes. Os envelopes foram deixados no setor de correspondência da Casa e encaminhados aos parlamentares. A remetente é Sirlene Medeiros de Alcântara, provavelmente um pseudônimo, já que seu endereço é o da Secretaria de Estado da Educação.

Exame toxicológico
O deputado Nereu Moura, líder do PMDB, apresentou ontem requerimento pedindo ao governador Beto Richa (PSDB) para ingressar com ação na Justiça para suspender a obrigatoriedade de exames toxicológicos de motoristas de caminhões e ônibus. O teste não é realizado no Brasil, gerando despesa média de US$ 100, que é bancada pelos profissionais.

Boa Chico!
O jornalista Chico de Alencar doou 300 livros do ‘A Virada do Século – Nas Asas da História’, para o projeto Roda Livro da Fundação Cultural. A entrega foi feita para a diretora-presidente, Arinha Rocha. O livro conta a passagem de Santos Dumont por Foz do Iguaçu e as Cataratas do Iguaçu.

‘Temer não pode ser contestado, ele venceu a eleição’, afirma consultor

gaudencio torquato

Gaudêncio Torquato, consultor político de Michel Temer há 30 anos, defende que o peemedebista dê uma clara sinalização de que descarta ser candidato à Presidência da República em 2018, mesmo que, ao final de seu provável governo, essa possibilidade se torne real.

“Para a manutenção e fortalecimento da base política é preciso que ele descarte sua candidatura. Agora, não dá para garantir que amanhã não choverá em São Paulo.” Em entrevista à Folha de S.Paulo, ele diz que o ministro da Fazenda de um eventual governo do PMDB também não pode almejar o Palácio do Planalto.

Torquato costuma, em encontros semanais, analisar e traçar cenários políticos para o peemedebista. Segundo ele, a pretensão de Michel Temer é “ser o presidente de transição que organizou o país para a grande mudança”.

Foto: Bruno Santos/Folhapress

AQUI para ler a íntegra da entrevista

Gleisi convocou Osmar Dias para livrar Dilma do impeachment no Senado

osmar dias gleisi

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) defendeu nesta quarta-feira, 17, na comissão impeachment, a convocação do vice-presidente do Banco do Brasil, Osmar Dias (PDT), com intenção de livrar a responsabilidade presidente Dilma Rousseff (PT) em uma das pedaladas fiscais. Gleisi pretendia que Osmar Dias assumisse o pagamento de R$ 3,5 bilhões de créditos do Plano Safra em 2015 – o governo atrasou os repasses e o banco pagou com recursos próprios. A oposição não concordou, afirmou que Gleisi estava tentando transferir a responsabilidade de Dilma para o Banco do Brasil e a proposta da petista foi rejeitada.

Não se sabe, no entanto, se Osmar estava ciente da convocação ou de mais uma provocação de Gleisi já que o pedetista, em voo próprio, se afastou da senadora e do petismo e pretende disputar o governo do Paraná em 2018.

Gleisi é mentirosa, diz Aloysio Nunes

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) disse que a senadora Gleisi Hoffmann (PT) mente ao afirma que ele, Aloysio Nunes, saiu pregando contra o Brasil no exterior. “Quem faz isso é a presidente Dilma e não eu”, disse.

« Older posts Newer posts »

© 2016 Boca Maldita

Layout por Poolbliq ComunicaçãoUp ↑