Page 2 of 2754

Empréstimos secretos: manto vergonhoso

alvarodias

Alvaro Dias

Percorri, nesses últimos anos, longo e tortuoso itinerário para quebrar a caixa-preta dos empréstimos secretos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Jamais aceitei que essas operações fossem revestidas de sigilo em ostensivo desrespeito à Constituição, que impõe a transparência e a publicidade nos atos da administração pública.

Em audiência realizada na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, indaguei ao presidente do banco de fomento sobre esses empréstimos, tais como os prazos de liberação de recursos e pagamento da dívida pelos países; os juros e a correção contratados; e se a operação contou com recursos do Tesouro Nacional, fazendo com que o contribuinte brasileiro financie diretamente a construção do Porto de Mariel, em Cuba. As respostas oferecidas por Luciano Coutinho reforçaram a necessidade de discussão, pelo Senado, do projeto que apresentei para extinguir o sigilo bancário nas operações de crédito e empréstimos feitos por instituições oficiais brasileiras, como o BNDES, para outros países. O projeto, que altera o artigo 1.º da Lei Complementar 105, foi motivado pelas manifestações de indignação recebidas por meu gabinete parlamentar de inúmeros setores da sociedade. Infelizmente, quando esteve para ser votado na Comissão de Relações Exteriores, foi retirado de pauta por orientação do governo. É inaceitável que a base de sustentação do governo no Senado barre a aprovação desse projeto, pois o povo brasileiro tem o direito de saber para onde vai seu dinheiro, oriundo dos impostos pagos com tanto sacrifício, de forma direta e indireta. Continue lendo

Ir de Roma

Luiz Claudio Romanelli

Celso Nascimento, Gazeta do Povo

O deputado Luiz Cláudio Romanelli se apresenta como candidato a presidente da Assembleia. Discretamente, por enquanto. Mas já teria conseguido vencer uma etapa importante ao reunir os oito deputados que o PMDB elegeu e promover a união de todos em torno do projeto. A bancada é heterogênea: há ali “richistas”, como o próprio Romanelli, como os de oposição, dentre eles Anibelli Netto e o primeiro rebento, Requião Filho. Todos se comprometeram a caminhar juntos na escolha de um candidato. E que pode ser Romanelli, se outros partidos também manifestarem a mesma vontade.

Não será parada fácil. Há outros candidatos no páreo. Um deles é o atual líder do governo, Ademar Traiano. Contra ele há resistências de antigos deputados – que reclamam ter sido tratados por Traiano como uma manada – e de alguns novos, que o conhecem apenas pela fama de ser desprovido de dotes que a neurociência chama de inteligência emocional. Continue lendo

Youssef, Janene, Vargas e agora Gleisi: o Paraná no centro das denúncias da Petrobras

gleisi_151014

Rogério Galindo, Caixa Zero, Gazeta do Povo

Foi aqui que começou o escândalo da Petrobras, lembram? Começou com a Operação Lava Jato, que teve seu centro no Paraná. O principal envolvido a ser preso já de cara foi Alberto Youssef, um doleiro velho conhecido da política local que agora se vê que tinha influência também no resto do país.

Foi daqui a primeira “vítima” política do escândalo, o deputado André Vargas, à época vice-presidente da Câmara. Abatido em voo, terminou sendo obrigado a deixar o partido e nem pôde concorrer à reeleição. Continue lendo

A loira da vez

miriam-goncalves08

Fábio Campana

A estrela sobe. Mirian Gonçalves é a líder do PT mais consultada desde ontem em Curitiba. A surpreendente denúncia de envolvimento da senadora Gleisi Hoffmann no esquema de corrupção da Petrobras, de onde teria recebido R$ 1 milhão em 2010, abriu espaço para a afirmação de novo nome dentro do partido.

A vice prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, adversária interna de Gleisi, é a mais citada para disputar a prefeitura da capital em 2016 e iniciar a reconstrução do PT do Paraná que foi abalrroado pelos escândalos de corrupção.

Mirian, advogada de sindicatos de trabalhadores, com trânsito na base provado na sua indicação para vice de Fruet, quando derrotou Gleisi, é apontada como a “cara do PT do bem”.

Impostômetro chega a R$ 1,3 trilhão

1810.impostometro

O medidor que aponta o nível de impostos arrecadados no Brasil, conhecido como Impostômetro, atingiu neste sábado, 18, a marca de R$ 1,3 trilhão. A quantia se refere aos valores pagos pelos brasileiros em impostos federais, estaduais e municipais desde o início do ano. As informações são da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Com informações do G1.

O Impostômetro foi implantado em 2005 para alertar os consumidores sobre o valor pago em imposto em cada mercadoria comprada, ou serviço contratado. O Brasil é o país com as mais altas taxas tributárias do mundo. Continue lendo

Delator diz que pagou R$ 1 milhão a Gleisi

1404-paulo-roberto-da-costa-e-gleisi-hoffmann

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa disse ao Ministério Público Federal que o esquema de corrupção na empresa estatal repassou R$ 1 milhão para a campanha da ex-ministra Gleisi Hoffmann (PT-PR) ao Senado nas eleições de 2010, segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”. Eleita para o Senado naquele ano, Gleisi licenciou-se para assumir o cargo de ministra-chefe da Casa Civil no início do governo da presidente Dilma Rousseff. Nas eleições deste ano, Gleisi concorreu ao governo do Paraná e terminou a disputa em terceiro lugar.

Segundo o jornal, Costa disse que a campanha de Gleisi recebeu ajuda a pedido do doleiro Alberto Youssef, apontado como operador de um esquema que teria desviado recursos da Petrobras para partidos políticos. Pegos na Operação Lava Jato, os dois estão colaborando com as autoridades em troca de redução de suas penas. Continue lendo

Dilma veta Gleisi, Fruet e Paulo Bernardo na caminhada em Curitiba

DimaAndreRodrigues05

Cerca de 1,5 mil pessoas acompanharam a caminhada de Dilma Rousseff (PT) de cinco quadras pela rua XV em Curitiba. A petista participou de um ato público na Praça Generoso Marques que durou cerca de 40 minutos. Dilma estava acompanhada pelo senador Roberto Requião (PMDB), pelo vice-presidente Michel Temer (PMDB) e pelo ex-senador Osmar Dias (PDT). A senadora Gleisi Hoffmann (PT) não acompanhou a presidente. Nos bastidores da campanha petista, a afirmação é de que Dilma vetou a presença de Gleisi, do marido Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, e do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT). Outro rumor dá conta que Gleisi, Bernardo e Fruet não caminharam com Dilma com receio das vaias, apupos e outros protestos.

Diga a-é-c-i-o

Os tucanos estão trolando nas redes sociais uma música famosa nos anos 80. Da dupla de disco music Ottawan, os tucanos juntaram o refrão “d-i-s-c-o” à uma foto de Aécio Neves (PSDB) ou a-e-c-i-o. A postagem roda no Facebook, WathsApp e agora no Youtube.

Datafolha: Rio e RS mostram empate técnico entre Dilma e Aécio

aecio-dilma

Do Globo

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira em quatro estados verificou as intenções de voto para a disputa presidencial. O instituto aproveitou o levantamento feito para verificar a corrida eleitoral pelos governos do Rio, do Distrito Federal, do Rio Grande do Sul e do Ceará para aferir como os eleitores locais pretendem votar ao Palácio do Planalto. Rio e Rio Grande do Sul, terceiro e quinto maiores colégios eleitorais do país, respectivamente, mostraram disputa acirrada entre Dilma e Aécio. A petista aparece com 51% das intenções de voto, contra 49% do tucano entre os fluminenses, e com 49% a 51% entre os gaúchos. Ou seja, em empate técnico nos dois estados – a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Os números se referem aos votos válidos, excluindo-se do cálculo os votos em branco, nulos e os indecisos, mesmo método utilizado pela Justiça Eleitoral na divulgação do resultado oficial da eleição.

Já no Ceará, lavada da candidata à reeleição, que ganha por 73% a 27%. No Distrito Federal, é o tucano quem tem vantagem, 65% a 35%.

Rio e Rio Grande do Sul – que tem peso eleitoral na decisão nacional de 8,5% e 5,9%, respectivamente – apresentaram resultados bem próximos ao do apanhado geral feito pelo Datafolha entre os dias 14 e 15 de outubro, o mais recente do instituto na corrida presidencial. Aécio aparece com 51% dos votos, contra Dilma 49%, no levantamento que tem como margem de erro dois pontos percentuais para mais ou para menos.

DISPUTA NO RIO

No terceiro colégio eleitoral, os entrevistados que declararam voto em branco ou nulo representaram 9%. Outros 6% disseram não saber em quem irão votar ou não responderam à pesquisa.

O Datafolha ouviu 1.486 eleitores em 36 municípios no dia 15 de outubro. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa no Rio, encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”, foi registrada no Tribunal Eleitoral Regional (TRE) sob o protocolo RJ-00069/2014 e no Tribunal Superior eleitoral sob o registro BR-01098/2014.]

Dilma e a Constituinte

dilma assustada

Editorial, Gazeta do Povo

A presidente-candidata insiste em uma proposta claramente irreal e ilegal para realizar a reforma política

Com o fim exclusivo de montar um cenário para o programa eleitoral da televisão, a presidente Dilma Rousseff subiu ao palco na segunda-feira para receber o resultado de uma “votação” na qual 7,5 milhões de pessoas (97% dos votantes) manifestaram apoio à sua ideia de que só uma Constituinte exclusiva poderia fazer a reforma política pela qual clama o país. Os holofotes bem posicionados e uma fala parecida com o improviso dariam à candidata um bom palco para conquistar a plateia de eleitores que, em 2013, saíram às ruas para protestar contra “tudo que está aí”, mas sobretudo contra o modo de ser e agir dos políticos brasileiros que “não nos representam”. Continue lendo

Incompetenta – por Alpino

CHARGE ALPINO

Fruet aprova lei que divide o custo das obras com os moradores dos bairros

fruet

O prefeito Gustavo Fruet (PDT) aprovou ontem a lei da chamada “Vizinhança Participativa’ que permite a divisão dos custos das obras com os moradores de Curitiba. Do texto original aprovado pelos vereadores, Fruet fez um veto: agora somente projetos propostos pelos próprios moradores poderão ser aceitos. Pela redação anterior, o próprio município poderia dizer quais obras deveriam ser realizadas através do sistema. As informações são do Metro.

De autoria de Jonny Stica (PT), o projeto passou por uma acalorada discussão na Câmara de Vereadores até ser aprovado. Alguns parlamentares argumentaram que se tratava de uma maneira do Executivo se eximir das suas responsabilidades e apontaram que apenas os moradores dos bairros nobres são beneficiados. Ao final, 20 vereadores foram a favor e 10 contrários à proposta.

Aécio coloca Itaipu na roda

aecio-e-dilma-4

Vamos falar do Brasil, explique aqui, candidata, por que a senhora mantém hoje nomeado, por exemplo, na Itaipu binacional o tesoureiro do seu partido, que recebia propina para alimentar a sua campanha, candidata Dilma Rousseff?

do Aécio Neves (PSDB) perguntando para Dilma Rousseff (PT) no debate do SBT

No debate do SBT, Aécio fez picadinho de Dilma, afirma Ricardo Noblat

Se alguém quase se rendeu a baixarias foi Dilma.

Aécio Neves deixou de ser tucano.

Na versão política, tucano é uma ave que, apesar do bico grande, bica com delicadeza. É capaz de perder a vida para não perder a elegância. Foi assim, por exemplo, com Serra no primeiro debate do 2º turno contra Dilma em 2010.

De certa forma foi assim também com Aécio no debate da última terça-feira contra Dilma na Rede Bandeirantes de Televisão.

Quem imaginou que ele, ontem, no debate do SBT, ofereceria a outra face para apanhar, enganou-se.

O instinto de sobrevivência empurrou Aécio para cima de Dilma, e dessa vez foi ela que não estava preparada para enfrentar tamanha fúria. Continue lendo

Do além, Campos deve reconhecer feitos de Lula, diz Gilbertinho

gilberto-carvalho

A gafe das gafes se deu em Recife e foi protagonizada pelo ministro petista Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), conforme aponta a Folha de S. Paulo desta terça-feira (14). Gilbertinho afirmou esperar que, agora morto, o ex-governador Eduardo Campos seja capaz de reconhecer o que o ex-presidente Lula fez por Pernambuco. “Acho que o Eduardo Campos agora que está, espero, na luz de Deus, tenha reconhecido aquilo que o Lula fez aqui neste Estado”, disse Carvalho.

O ministro também disse aos representantes dos movimentos sociais de Pernambuco que o PT tem enfrentado dificuldades em dialogar com a classe média, mas também com a periferia de cidades como São Paulo. “Estamos atravessando um momento delicadíssimo da nossa campanha. Plantou-se um ódio enorme em relação a nós”, afirmou.

Segundo ele, em algumas partes do Brasil tem sido difícil ostentar broches e bandeiras da campanha da presidente Dilma. “A gente [vem] sendo chamado de ladrão com muita frequência, de um grupo de petralhas que assaltaram o governo e inventaram uma coisa que nunca existiu no Brasil, que é a tal da corrupção, e que nós temos que ser varridos porque os limpos é que têm que voltar”, afirmou.

« Older posts Newer posts »

© 2014 Boca Maldita

Layout por Poolbliq ComunicaçãoUp ↑