0 Shares 1956 Views

Parecer do Simepar confirma Palmas como a mais fria do Paraná

18 de abril de 2018
1956 Views

O clima da cidade de Palmas “é o mais frio do Paraná”. A afirmação consta de parecer técnico do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), em resposta à diligência solicitada pelo deputado estadual Nereu Moura, autor do projeto de lei 374/2017 reconhecendo o município como o mais frio e Capital da Maçã no Estado. A matéria deverá ser incluída na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa na reunião da próxima terça-feira (24).

O parecer técnico do Simepar, assinado pelo pesquisador Reinaldo B. da Silveira, que é Ph.D. em climatologia, avaliou o padrão de temperaturas de Palmas, que está localizada na mesorregião Centro-Sul do Paraná e “constatou-se estar na região mais fria do Paraná”, ressaltou. Adicionalmente, a cidade possui dados meteorológicos desde 1922, sendo o período suficiente para compor uma série histórica climática.

“A partir destes dados, foi possível determinar as médias climatológicas referentes aos dois períodos normais climatológicas e constatou-se que o clima na cidade de Palmas é o mais frio do Paraná, com inverno com temperatura mínima abaixo de 0C e pequena amplitude térmica, por período superior a 2 meses (maio a julho)”, resume o parecer técnico do Simepar.

A manifestação foi solicitada pelo deputado Nereu Moura, devido um segundo projeto estar tramitando na Casa de Leis, concedendo o título ao município de General Carneiro, no Sul do Paraná.

Procedimento
Reinaldo da Silveira usou dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) de 1930-1960, do INMET de 1961-1990, dos bancos de dados meterológicos do Simepar e do Climate Zones and Types. The Köppen System. Physical Geography, PH, 2000, de Tom McKnight e Hess Darrel. O parecer do Simepar, assegurando ser Palmas a mais fria do Paraná, foi lido por Nereu Moura na sessão da CCJ desta terça-feira, 17.

“Com a chancela do Simepar, meu projeto é que deve prosperar”, ressalta o deputado. Palmas é reconhecidamente a cidade mais fria do Paraná, tanto por sua população como por visitantes ou trabalhadores de outras regiões que por lá passam. “Este título não será conferido à toa, uma vez que as baixas temperaturas que se acentuam no inverno palmense são comentadas em todo o Estado”, afirma Nereu Moura.

De acordo com o prefeito Dr. Kosmos Nicolaou, será uma honra para Palmas ser reconhecida tanto na questão do frio quanto pela produção de maçãs. Ele lembra que, em 2017, a cidade registrou pelo menos três fortes geadas e duas quedas de neve. A segunda ganhou repercussão no noticiário estadual e nacional.

“Vemos todos os dias, notícias sobre o frio em outras cidades de destaque do nosso país, mas esquecemos de olhar ao redor e ver as maravilhas que temos aqui no Paraná, em Palmas, por exemplo”, concluiu o deputado Nereu Moura.

Cidade dos Ventos
A região dos Campos de Palmas tem como característica os ventos constantes, criando uma situação atmosférica propicia a formação de geadas e até mesmo nevascas. A cidade já registrou a incrível marca de 11 graus negativos de sensação térmica (frio sentido em ambiente externo), conforme a medição de superfície de solo realizada pela Estação IAPAR (Instituto Agronômico do Paraná).

As baixas temperaturas nos Campos de Palmas são temas de seguidas reportagens nos veículos de comunicação do estado e do país. Na década de 1960, a grande incidência de nevascas ganhou destaque nacional. O frio da cidade já foi tema de Dissertação de Mestrado e motivou, no ano passado, uma enquete promovida pelo Governo do Estado, em seus perfis nas redes sociais, conferindo a Palmas o “Selo Frozen”, devido a grande votação dos internautas.

Maçã
O município é o maior produtor de maçã na Estado, correspondendo a 2,16% da produção nacional. Este ano, estão sendo colhidas 13 mil toneladas, muito próximo das 14 mil toneladas retiradas do campo em 2017. Palmas produz maçãs do tipo Gala, Fuji e Eva e em menor número (cerca de 10%) outras variedades como a Fuji Suprema e a Imperatriz.

A seguir a íntegra do parecer técnico do Simepar:

Resposta ao Of. nº 011/2019

Exmo Sr. Deputado

Em atendimento ao Of. nº 011/2018, encaminhado por V.Exa, estamos enviando em anexo Parecer Técnico do SIMEPAR sobre o Projeto de Lei nº374/2017.

Reiterando manifestação de apreço, colocamo-nos à inteira disposição desta comissão para esclarecimentos adicionais se necessário.

Eduardo Alvim Leite
Diretor Presidente

Parecer Técnico
Projeto de Lei nº 374/2014 quanto à avaliação da temperatura mínima da cidade Palmas, PR

Do Simepar

O Sistema Meteorológico do Paraná – Simepar – é um serviço social autônomo, vinculado à Secretaria de Ciência e Tecnologia do Governo do Paraná, com a finalidade de prover à Sociedade informações das condições meteorológicas vigentes no estado, através de dados observados na rede de estações telemétricas do Simepar, radares e satélites meteorológicos. O Instituto mantém um acervo de dados de longo prazo e computadores de alto desempenho, a fim de realizar estudos e projetar cenários climáticos futuros. O Simepar conta ainda com profissionais qualificados em diversas áreas do conhecimento e, em particular, Meteorologia e Climatologia, com um centro operacional para monitoramento rotineiro do tempo e alertas de eventos meteorológicos severos, atuando vinte e quatro horas por dia nos sete dias da semana.

Dos dados climáticos
O Simepar opera cerca de 100 estações meteorológicas no Paraná, com histórico desde 1997. Em adição, a cooperação com outros institutos como o Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) e o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) possibilita acesso a dados meteorológicos de datas anteriores a fundação do Simepar e de estações que não constam no acervo do Instituto. Em paralelo, o INMET é o órgão do governo federal incumbido de produzir os dados conhecidos como normais climatológicas e divulgá-las à Organização Meteorológica Mundial (OMM) e à Sociedade. Instituído pela OMM em 1950, este documento inclui médias de diversos parâmetros climáticos, tais como temperatura, pressão atmosférica, vento, radiação e umidade relativa do ar, para períodos de 30 anos, tempo reconhecido como suficiente para determinar o clima de uma região. A primeira normal climatológica refere-se ao período de 1931 a 1960 e a segunda ao período de 1961 a 1990. O INMET, calculou as normais para os dois períodos, para cerca de 450 estações meteorológicas convencionais, nas quais as medições são realizadas manualmente por um observador quatro vezes ao dia. A climatologia, sob ponto de vista da Meteorologia, é realizada com base nestes dados meteorológicos históricos. Para tal. Medições destas variáveis durante períodos longos são imprescindíveis.

Do clima e da temperatura da cidade de Palmas, Paraná

A cidade de Palmas, localiza-se na mesorregião Centro-sul Paranaense, na latitude 26° 29’02’ S, longitude 51° 59’ 27’’ O e altitude média de 1115 metros.

A cidade de Palmas é classificada geograficamente com clima subtropical úmido com verão temperado, Cfb segundo a classificação climática de Köppen-Geiger. Isto significa clima cuja a temperatura média do ar do 3 meses mais frios é inferior a -3C, a temperatura média do mês mais quente é superior a 10C e as estações de verão e inverno são bem definidas.

A cidade de Palmas possui dados climáticos desde 1922, com estações do IAPAR, INMET e SIMEPAR. No entanto, a série sofreu descontinuidade no ano de 1982, quando as medidas foram interrompidas, retornando em 1998. Obviamente, importantes dados foram perdidos no intervalo sem a estação meteorológica. Hoje, a estação meteorológica de Palmas é operada pelo SIMEPAR, inaugurada em 24 de abril de 1998. O mapa da figura 2 destaca a localização da estação meteorológica de Palmas, próximo ao aeroporto, a noroeste do centro da cidade, na altitude de 1100 metros.

Os dados da cidade Palmas foram obtidos para cálculo das normais climatológicas, nos períodos de 1931 a 1960 e de 1961 a 1990, embora tenha ocorrido a descontinuidade no segundo período. Destacam-se temperaturas extremas, como -8.9C ocorridos em agosto de 1963; 38.8C em janeiro de 1963 e 38.0C em maio de 2013.

Os dados constantes no acervo do SIMEPAR, obtidos na estação meteorológica de Palmas, para o período de 1998 a 2017, indicam uma temperatura média entre 12C e 22C, podendo as estações de verão e inverno serem bastante acentuadas para p calor e para o frio, respectivamente. Durante os meses de maio a agosta a temperatura mínima média ficou abaixo de 3C, podendo atingir valores absolutos próximos a 6C. As curvas constantes no gráfico da figura 3, com as características médias das temperaturas, revelam que a cidade experimenta extremos de temperatura, com as estações de verão e inverno bem caracterizadas. No entanto, ressalta-se que foram observadas temperaturas máximas também no período de inverno, bem como mínimas extremas no verão.

As normais climatológicas do período de 1961 a 1990, os quais incluem a estação meteorológica de Palmas, revelam que a região Centro-sul do Paraná é de fato a mesorregião mais fria do Paraná, com temperatura mínima inferior a 6 graus centígrados e baixa amplitude térmica, inferior a 10 graus centígrados, conforme denotam os dados da figura 4, extraída da página WEB do INMET (www.inmet.gov.br).

Do parecer técnico do Simepar

Avaliou-se o padrão de temperaturas da cidade de Palmas, na mesorregião Centro-sul do Paraná e constatou-se estar na região mais fria do Paraná. Adicionalmente, a cidade possui dados meteorológicos desde 1922, sendo o período suficiente para compor uma série histórica climática. A partir desses dados, foi possível determinar as médias climatológicas referente aos dois períodos de normais climatológicas e constatou-se que o clima na cidade de Palmas é o mais frio do Paraná, com inverno com temperatura mínima abaixo de 0C e pequena amplitude térmica, por período de a 2 meses (maio e julho)

Referências
INMET. Normais Climatológicas 1930-1960
INMET. Normais Climatológicas 1961-1990
SIMEPAR. Bando de Dados Meteorológicos
MCKNIGHT, Tom L.; DARREL, Hess: Climate Zones and Types. The Köppen System. Physical Geography, PH, 2000.

Reinaldo B. Da Silveira – Ph.D.
Pesquisador do Simepar

Mais notícias para você:



Leave a Comment

Your email address will not be published.