O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni alertou neste domingo (8), durante transmissão ao vivo pelo Facebook, que a renovação ou não dos contratos de pedágio, que vencem em 2022, precisa ser discutida claramente pelos pré-candidatos ao governo do Estado.

Os pedágios foram implantados em 1998 na gestão de Jaime Lerner, nos 2,5 mil quilômetros do Anel de Integração e a cobrança termina em 2022. “Quem vai renovar ou não a concessão é o próximo governador. Os candidatos terão que trazer esse assunto para pauta e explicar se o estado vai renovar ou assumir os 2,5 mil quilômetros de rodovias. O poder público não tem recursos para fazer todos os investimentos. E nós, paranaenses, temos de parar de entrar em ‘cantos de sereias’ ou em contos de fanfarrões do ‘abaixa ou acaba”, disse.

Ajuste – Durante a transmissão, Rossoni também comentou o andamento de diversas obras em rodovias paranaenses e afirmou que o Paraná é hoje o Estado com melhor condição fiscal do país. Durante o final de semana, o secretário fez um post com notícias dos principais jornais do país sobre a situação caótica em estados como Minas Gerais, Rio Grande e Rio de Janeiro, onde sequer os parcelamentos de salários e aposentadorias estão sendo pagos.

“Estamos com as contas em ordem e pagando as progressões de 2015, 2016 e já implantamos a de 2017. E vamos pagar o décimo terceiro em dia. Podemos, sim, traçar um comparativo do nosso estado porque o Paraná está numa situação estável e confortável. Isso graças ao ajuste feito pelo governador Beto Richa”, explicou.